Afinal de contas, eu sou ou não um empreendedor?

Uma das questões mais frequentes que surge quando se fala em empreendedorismo é se “somos pessoas empreendedoras?”. Mas primeiro vamos entender um pouco sobre o tema para podermos decidir se, afinal de contas, temos características empreendedoras. Ao longo do texto vamos explorar também diversas fontes para ajudar no seu projeto empreendedor e no financiamento da sua empresa.

O que é empreendedorismo?

Se você abrir uma empresa, seja ela pequena, média ou grande, o empreendedorismo está ocorrendo. Se você está implantando uma ideia nova na sua empresa, está empreendendo. Se você desenvolve um novo produto ou serviço e cria um novo mercado que antes não existia, com certeza está empreendendo.

Podemos perceber que empreendedorismo está mais relacionado com sua atitude empreendedora do que com o fato de você ser o proprietário de uma empresa.

Eu nunca fiz nada disso, então NÃO posso me considerar empreendedor.

ERRADO, ser empreendedor ou não, parte de características que podem estar presentes em nós ou serem desenvolvidas ao longo da nossa vida.

Características como proatividade, persistência, aceitar riscos, foco em qualidade, comprometimento, busca de informações, estabelecimento de metas, planejamento e controle, persuasão, redes de contatos, autonomia e autoconfiança podem ser desenvolvidas com esforço pessoal e treinamento contínuo.

Não nascemos sendo pessoas proativas, nós nos tornamos em função das nossas vivências e experiências. Colocando em dois extremos, podemos ser pessoas que agem por impulso ou que busca informações adicionais para tomar decisões, a experiência pode nos ensinar que agir por impulso nos fez cometer mais erros do que acertos, então começamos a buscar mais informações para acertamos em nossas decisões.

Esse aprendizado nos torna mais empreendedores do que éramos. Algumas pessoas aprendem mais rápido que outras, mas todos podem se tornar empreendedores. Mark Zuckerberg lançou o site Facebook do seu dormitório em Harvard aos 19 anos. Em 1866 Henri Nestlè, então com 52 anos, fundou a Nestlé em Vevey na Suíça e lançou no mercado a Farinha Láctea Nestlé. Não há idade para se tornar empreendedor.

Podemos citar diversos casos de empreendedores jovens, com 18 anos ou até menos e pessoas com mais de 60 anos, e em todos estes casos não vamos encontrar relação com a idade, mas sim similaridades entre as características dos empreendedores. Em algum momento de suas vidas eles decidiram que empreender o próprio negócio ou lançar uma ideia era a melhor opção, e fizeram de tudo para que seu negócio obtivesse sucesso, sem desistir ao menor sinal de dificuldade.

 

Mas eles tinham ótimas ideias, eu não tenho nenhuma

 

Experiências comuns não viram casos de estudo, a maior parte dos empreendedores não está em uma lista como as maiores celebridades do mundo dos negócios, ao contrário, eles aparecem em pesquisas que apontam que, no Brasil por exemplo, segundo a pesquisa global sobre empreendedorismo (GEM – Global Entrepreneurship Monitor) a taxa de empreendedorismo é de 39,3%, ou seja, de toda a população do Brasil, com idade entre 18 e 64 anos, quase 40% é constituída de empreendedores, sejam empresas nascentes ou consolidadas. Estas taxas variam ao redor do mundo, mas indicam que o Brasil tem grande potencial empreendedor em comparação com outros países.

O empreendedorismo tem mais chances de dar certo quando um empreendedor preparado encontra uma oportunidade. Embora exista relação entre boas ideias e sucesso da empresa, sem ter uma oportunidade real, uma estratégia e características empreendedoras, uma ideia boa pode virar um mal negócio. Já um empreendedor preparado com uma estratégia consolidada e uma oportunidade nas mãos, tem mais chances de obter o sucesso.

As oportunidades podem variar desde a criação de um produto ou serviço inovador,

a abertura de um novo mercado onde um produto ou serviço ainda não é oferecido, a implantação de um novo método na empresa em que trabalha, a descoberta de novas fontes de matéria-prima ou a criação de uma empresa, seja qual for a área de atuação.

Um empreendedor preparado é aquele que possuí características para lidar com os desafios que irão surgir ao tentar alavancar um negócio ou um projeto. A experiência prática e a educação formal são as formas de desenvolver estas características, de acordo com a GEM, 48,8% dos empreendedores iniciais possui segundo grau completo e superior incompleto, indicando que quando os indivíduos alcançam a educação superior é que começa a desenvolver sua habilidade para reconhecer oportunidades, por isso não deixe nunca de aprender.

Tenho que me preparar e buscar oportunidades, e depois?

Quase todos os países do mundo possuem mecanismo que podem facilitar ou dificultar a vida do empreendedor. Um bom empreendedor deve reconhecer este mecanismos e tirar vantagem dos fatores que ajudam o seu negócio e estar preparado para enfrentar aqueles que dificultam o empreendimento.

Estes mecanismos e fatores são conhecidos como o ecossistema empreendedor, ou o ambiente onde os negócios irão se desenvolver. Um ambiente que dificulta a abertura e o desenvolvimento do negócio possuem ecossistemas pouco desenvolvidos, enquanto ambientes que favorecem o empreendedorismo tem um ecossistema propício para o desenvolvimento de empresas.

Todos os países do mundo possuem incentivos para o empreendedorismo e seus empreendedores, você deve saber onde encontrar ajuda para desenvolver o seu negócio. Existem diversas organizações físicas e virtuais que podem ajudar o empreendedor a encontrar material para entender seu negócio. Os governos possuem incentivos fiscais, regulamentações e legislações específicas e contam com parcerias com entidades voltadas para auxiliar o empreendedor a montar o seu negócio.

Clientes

Os clientes são um fator chave para o sucesso do negócio, pesquisas de mercado, teste do produto com os consumidores e outras técnicas podem ajudar a melhorar a qualidade e a oferta para o cliente.

Cada negócio terá uma demanda por mão-de-obra especializada, as universidades estão cheias de jovens que buscam desafios, busque as competências que falta para você nestes locais, mas pense também nas possibilidades de encontrar parceiros ou quem sabe sócios para o negócio.

Parcerias

Outras empresas sabem que precisam buscar boas ideias para se manter no mercado, um empreendedor com uma boa ideia de produto/serviço ou negócio pode encontrar uma oportunidade de parceria com outras empresas se souber onde buscar. Esteja atento aos concursos, prêmios e editais divulgado por organizações públicas e privadas que buscam ideias inovadoras, elas podem ser o caminho para alavancar o seu negócio próprio.

Rede de contatos

Por fim, mas não menos importante está a sua rede de contatos, as pessoas que você conhece ou conheceu ao longo de sua vida. Sejam elas colegas de aula, de trabalho, clientes ou fornecedores com os quais você fez negócio. Lembre dos amigos ou o amigo de um amigo, que pode ter informações ou interesse no seu negócio e ser de grande ajuda para você. Acionar a sua rede de contatos permite encontrar atalhos para transformar seus sonhos em realidade.

Mas e o que pode dificultar a minha vida como empreendedor?

Nem tudo é um mar de rosas, existem dificuldades inerentes ao ato empreendedor. Enquanto na Nova Zelândia é possível abrir uma nova empresa em um dia, no Brasil a média chega a 108 dias, colocando o país na 123ª posição deste ranque (Doing Business – em português). Além disso existem fatores limitantes e favoráveis no Brasil.

Enquanto a capacidade empreendedora e a disponibilidade de informações são pontos favoráveis no país, educação e capacitação, políticas governamentais, apoio financeiro e o custo são fatores limitantes ao empreendedorismo.

dados-empreendedorismo

Mas nem por isso o Brasil deixa de ser um bom lugar para empreender, cabe ao empreendedor aproveitar os pontos fortes e fortalecer os pontos fracos que estão ao seu alcance. A educação e capacitação é um exemplo de fator limitante que pode ser parcialmente controlado pelo empreendedor.

Tanto sua capacitação pessoal quanto a busca e treinamento para formar pessoal preparado para o seu negócio podem colocar a empresa a frente de possíveis concorrentes. Dominar a tecnologia é uma parte do negócio, manter seu pessoal na empresa e garantir que os funcionários permaneçam no negócio é função do empreendedor.

Entendido? Vamos agora a algumas dicas de por onde começar.

Comece criando um plano de negócios, eele pode ser simples ou completo, dependendo da complexidade do seu negócio, mas irá, principalmente, ajudá-lo a compreender as demandas da empresa que está sendo criada, permitindo avaliar o mercado, a necessidade de máquinas, equipamentos, matérias-primas e mão-de-obra. Algumas fontes de recursos que pode ajudar são:

Através do plano de negócios será possível definir a estratégia de marketing, questões jurídicas e legais e principalmente o plano financeiro, permitindo a você avaliar quanto dinheiro será necessário para tocar o negócio antes dele se tornar rentável e não depender mais do capital de giro externo a empresa, ou seja, quando o negócio começa a pagar as próprias contas.

De posse do plano de negócios você estará apto a buscar outro tipo de ajuda, as aceleradoras e incubadoras. As aceleradoras e incubadoras costumam ajudar empresas com alto potencial de crescimento, seja em áreas tecnológicas ou não. Cabe a você como empreendedor avaliar quais aceleradoras ou incubadoras estão mais alinhadas com a sua proposta de negócio. Uma lista bastante completa pode ser encontrada aqui.

E o dinheiro para o meu negócio?

Vamos falar agora dos recursos financeiros para a sua empresa. Existe uma diversidade de bancos, fundos, associações e entidades que podem ajudar o empreendedor através de bolsas, financiamento de projetos e dinheiro para capital de giro entre outras necessidades.

De posse do seu plano de negócios você já sabe dizer de quanto dinheiro vai precisar e para que será necessário este recurso. Agora é hora de selecionar as entidades que podem ajudar a resolver o problema financeiro. Investidores anjos, fundos de venture capital ou o crowdfunding são opções que devem ser levadas em conta na hora de conseguir dinheiro para a empresa.

Os investidores anjos podem ser familiares ou investidores que estão apostando na sua ideia e no seu negócio. Independente do grau de parentesco, o objetivo destes investidores é obter ganhos futuros, então esteja preparado para fornecer um acompanhamento regular sobre o andamento do negócio.

Fundos de capital de risco variam de tamanho e tipo de financiamento, mas podem ajudar projetos altamente inovadores até a estruturação da empresa ou seu crescimento. Cada fundo possui exigências que deverão ser atendidas, por esta razão o empresário deve entender os prós e contras que cada fundo oferece quando lhe empresta recursos financeiros para alavancar o negócio.

A opção de crowdfunding ou financiamento coletivo,

tem se tornado cada vez mais utilizado por não ter restrições quanto o que pode ser alvo de financiamento. O apelo durante uma campanha de financiamento coletivo está diretamente ligado ao produto ou serviço final que está sendo criado pela empresa. Se o público gostar da ideia tem grandes chances do financiamento coletivo atingir o valor solicitado pelo empreendedor, caso o público não goste do produto ou serviço, este já é um forte indicador de que o negócio pode não ter grande potencial de sucesso no mercado. O que não é motivo para desistir, mas uma opção de aprendizado que irá permitir ao empreendedor melhorar a sua ideia de negócio.

Para começar apresentamos abaixo uma lista bastante completa de opções de capital, tanto no formato financeiro quanto no formato de bolsas, prêmios e editais, mas não deixe de pesquisar na internet mais opções.

Capital financeiro

E aí, você se considera um pouco mais empreendedor agora?

Se tornar empreendedor é um processo de desenvolvimento de competência, não tente se tornar empreendedor da noite para o dia, aos poucos vá desenvolvendo características e habilidades que lhe permitam pensar e agir de forma proativa, enxergando oportunidades ao invés de barreiras.

Pense também em empreender em empresa de outras pessoas tornando-se um empreendedor corporativo. Essa é uma linha que trará a satisfação sem que você tenha que correr todos os riscos do negócio.

Compartilhe suas experiências nos comentários abaixo, ajude outras pessoas que estão empreendendo com dicas do que fazer para ter melhores resultados no caminho para a criação do próprio negócio.

 

SHARE
Previous articleGuia prático de eficiência nos estudos
Next article4 desafios para mulheres jovens no mundo dos negócios

Sou mestre em Administração pela UNISINOS e graduado em Administração de Empresas, na linha de formação Empreendedorismo e Inovação. Atualmente, atuo como professor e pesquisador e tenho amplo conhecimento na gestão de projetos, análise de mercado, pesquisa, desenvolvimento e inovação. Meu conhecimento abrange práticas para solução de problemas por meio do método científico, gestão de projetos, gestão do conhecimento, inovação, inteligência competitiva e tecnológica.