[Guia Completo] Como começar a trabalhar como freelancer?

Trabalhar como freelancer

O título deste guia reflete a maior dificuldade e dúvida de quem quer trabalhar como freelancer: como começar.

No início, há diversos contratempos devido à falta de experiência e, muitas vezes, de informação e preparo.

Os profissionais prezam pelo seu bem-estar físico e mental e por ter uma vida social de qualidade, o que tem levado, cada vez mais, pessoas a trocarem a segurança e a estabilidade de ter sua carteira de trabalho pelas atividades como freelancer.

De acordo com pesquisa, 76% dos jovens brasileiros não querem ter chefe e objetivam trabalhar por conta própria. Outro dado levantado pelo IBGE dá conta de que um quarto das ocupações nas principais cidades do país já são provenientes desse tipo de trabalho, e a Prolancer afirma que, nos últimos anos, a atividade de freelancer registrou um aumento de 30% no país.

Há diversas vantagens em trabalhar como freelancer: melhor administração de seu tempo, equilíbrio entre vida pessoal e profissional, flexibilidade no período de trabalho, ter o próprio negócio e tomar suas decisões, administrar uma oportunidade de mercado escalável, com chances mesmo diante de crise, etc.

De fato, a carreira é muito atrativa por possibilitar trabalhar com flexibilidade de horário, não ter chefe, etc. No entanto, é preciso estar preparado para atuar nesse formato tão desafiador.

O freelancer, enquanto empreendedor que trabalha por conta própria, deve ter os mesmos cuidados que os empresários tradicionais, tais como conquistar clientes, administrar tempo, projetos, prazos e atividades e saber recusar trabalhos que fujam de sua gama de conhecimento ou estejam abaixo do seu valor.

É importante lembrar que não existe uma fórmula mágica que garanta seu sucesso. No entanto, há alguns passos a serem seguidos que poderão auxiliar na sua caminhada e, juntamente com seu esforço e dedicação, irão ajudá-lo a alcançar seus objetivos. Conheça-os a seguir!

1. Comece estudando o mercado e validando seus serviços

Começar a trabalhar como freelancer sem conhecer o mercado e as tendências do segmento escolhido é extremamente arriscado e pode inviabilizar sua atividade. Para ter sucesso, planeje sempre antes de agir e faça um plano de negócios – afinal, a organização não deve ser um atributo apenas das grandes corporações, mas de qualquer profissional de sucesso.

Na hora de escolher o segmento, dê preferência por alguma atividade que você ame fazer, que te faça acordar todos os dias motivado. Tente conciliá-la com alguma tendência ou nicho de mercado em ascensão.

De acordo com pesquisa, atividades relacionadas à área de tecnologia são as que oferecem mais oportunidades para trabalhar como freelancer. Design e multimídia, tradução e produção de conteúdo e atividades relacionadas ao marketing também oferecem um bom mercado.

Assim, é preciso muito estudo, pois iniciar a carreira de trabalho pode ser complicado devido à falta de experiência. Trabalhe com objetivos e mantenha o foco na concretização.

2. Faça o planejamento da sua oferta como freelancer

Visite estabelecimentos que ofereçam o que você pretende fazer, ou pesquise futuros concorrentes na internet, e elenque as principais dificuldades encontradas pelos clientes, como comunicação, qualidade, etc. Você poderá utilizar esse levantamento das falhas dos seus concorrentes a seu favor, oferecendo um produto superior, inovando e aumentando a satisfação de seu cliente.

Defina quantas horas você vai trabalhar por dia, determine quais canais de comunicação serão utilizados – redes sociais, anúncios, rede de contatos, visitas, etc.: de que forma seu cliente saberá que você existe e está pronto para resolver seus problemas?

Determine como você captará clientes. Há sites específicos que fazem o elo entre o freelancer e quem está buscando seu serviço.

Além disso, é importante definir como você se vai se posicionar no mercado, sua metodologia de trabalho, como vai atender seus clientes, todos os detalhes de como sua oferta será lançada. Lembre-se de que algumas horas de planejamento podem poupá-lo de meses de dores de cabeça, portanto, não negligencie essa importante etapa!

3. Hora de trabalhar muito bem sua marca pessoal

Relacionamento é a palavra-chave e a alma de qualquer negócio. Seu cliente é o seu chefe, assim, mantenha um bom relacionamento para que a confiança cresça e ele fique satisfeito, isso o levará a indicar seu trabalho, aumentando sua lista de clientes.

Escolha a forma como irá assinar seus projetos – com seu nome próprio ou um nome fantasia. Saiba que qualquer pessoa física ou jurídica que exerça atividade legalizada pode solicitar o registro de uma marca. Esse registro, no Brasil, é concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI): http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/marcas. A solicitação deve ser realizada por meio do preenchimento de formulário próprio, anexando as especificações da marca.

Apresente-se para o mundo por meio do uso das redes sociais, esteja sempre presente na rede e mantenha um portfólio atualizado. Outro ponto importante para trabalhar e construir sua marca é responder prontamente seus clientes; se você recebeu uma solicitação de orçamento ou de envio de seu portfólio, não deixe o cliente esperando! O seu faturamento estará diretamente relacionado com a sua produção e a captação e relacionamento com os clientes. Então, mãos à obra!

4. Busque um contador para agilizar os trâmites

Contratar um contador auxiliar a sanar certas dúvidas com relação a cálculos e impostos que devem ser pagos.

Também ajuda a ter um registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita o pedido de empréstimos em bancos, abertura de uma conta bancária na modalidade de pessoa jurídica e permite a emissão de notas fiscais, garantindo benefícios e aumentando suas chances de fechar trabalhos como freelancer.

O contador também mantém atualizado um fluxo de caixa, de forma que você possa acompanhar suas finanças.

Ter uma boa gestão contábil é essencial para que a atividade de trabalhar como freelancer realmente seja efetiva e esteja de acordo com a lei. Há diversos controles, ações e procedimentos legais mais específicos que o freelancer geralmente não conhece, e que um contador pode executar.

5. Contribua com INSS, FGTS e demais impostos

Somos cercados por uma série de leis e de burocracias. Apesar de não ser uma empresa com funcionários e diversos setores, um freelancer também tem obrigações que, se não forem cumpridas, podem trazer prejuízos no futuro. Você deve pagar seus encargos e impostos, inclusive, como forma preventiva, caso algum dia ocorra algum acidente.

Inscreva-se no INSS (Previdência Social) para contribuir com a sua aposentadoria. Optando pelo cadastro de MEI (Microempreendedor Individual), sua contribuição mensal como prestador de serviços será de R$ 49,00, e você estará contemplado em caso de acidentes.

6. Busque consultoria para precificar corretamente o seu trabalho

Uma consultoria ajuda a precificar seu tempo e, consequentemente, o seu trabalho. Também auxilia a determinar quais gastos você vai ter, como deslocamento, luz e telefone e de que forma esse acréscimo deve ser considerado na hora de precificar o seu trabalho.

A consultoria esclarece os valores que são praticados no mercado e lhe dá condições de estabelecer um preço justo com base na análise desses dados internos (de seu negócio) e externos (do mercado).

É importante para todo freelancer determinar, também, sob orientação de um consultor da área, além do valor básico de quanto custa seu serviço, o preço mínimo pelo qual você aceitará um trabalho e qual será o desconto padrão, a ser praticado com clientes antigos ou que indicaram seus serviços, por exemplo.

Basicamente, você pode errar na definição de preços de duas maneiras: cobrar a mais ou a menos. Cobrando a mais, seus clientes irão se sentir explorados e buscarão um serviço similar com seus concorrentes. Cobrando a menos, você perderá dinheiro, já que seus clientes serão atraídos pelo baixo valor e qualquer negociação de preços no futuro será motivo para buscarem novos parceiros.

Isso se tornará um grande problema para a sua atividade, visto que tudo muda de valor: os insumos, custos de deslocamento, a eletricidade, etc. Se o seu preço não acompanhar esses ajustes, vai provocar prejuízos financeiros e comprometer a viabilidade de trabalhar como freelancer.

7. Crie um contrato de prestação de serviços com a ajuda de um advogado

O contrato de prestação de serviços é um acordo firmado entre um profissional freelancer e uma empresa. Ele tem caráter temporário, mas, caso seja interessante para as partes envolvidas, pode se repetir de modo recorrente.

O contrato trata de preços, prazos, estabelecimento em que o serviço será prestado, etc. Esse documento é a garantia de que você será pago corretamente e que ambas as contrapartidas serão cumpridas.

Dada sua importância, o contrato não deve ser redigido de qualquer maneira, sem a atenção e o cuidado necessários. Para ter a segurança de um contrato de prestação de serviços que, realmente, contemple todos os pontos importantes e assegurem boas condições de trabalho, busque o auxílio de um advogado e, preferencialmente, formalize o documento em cartório.

Negocie sempre exigindo o contrato, assim, você poderá, inclusive, receber um adiantamento antes do início de cada projeto. O contrato formaliza a relação de trabalho e serve como prova jurídica, protegendo os envolvidos em caso da existência de algum problema ou imprevisto.

8. Busque uma graduação em Administração de Empresas

O curso de Administração de Empresas figura entre as graduações mais procuradas, pois o leque de possibilidades de atuação profissional oferecido por essa formação é bastante atraente e abrangente.

Esta graduação é rica em possibilidades, favorecendo o caminho do empreendedorismo e garantindo conhecimentos diversos quanto à gestão de negócios.

Há opções de formação presencial ou online, e esta última é uma excelente alternativa para os freelancers, uma vez que não demanda tempo para deslocamento, por exemplo, permitindo que o profissional se dedique à execução de suas atividades de prospecção e manutenção de clientes.

Além disso, as matérias e tarefas ficam disponíveis no ambiente de aprendizado, de forma que o aluno pode determinar o melhor momento para realizá-las, considerando a sua rotina profissional.

Busque indicações, pesquise e opte por uma faculdade que tenha uma estrutura moderna, ofereça suporte presencial ou online, seja bem avaliada por seus estudantes e conte com um quadro docente de qualidade, com especialistas na área.

9. Separe compromissos pessoais dos profissionais

Você precisa ser líder de si mesmo, ser organizado e ter disciplina; não trate o trabalho como um hobby, e não permita que compromissos pessoais atrapalhem sua agenda profissional. Lembre-se de que, apesar de não estar trabalhando para uma empresa, você permanece com uma série de responsabilidades que não pode deixar de cumprir. Se houver atrasos ou falhas no cumprimento de suas atividades, você poderá prejudicar sua reputação e marca no mercado, reduzindo as chances de conquistar novos clientes e fidelizar os atuais, o que pode levar a sua empreitada ao fracasso. Lembre-se: freelancer que não trabalha, não recebe!

Utilize a tecnologia a seu favor, há diversas ferramentas da internet que podem ajudar no gerenciamento de seu tempo e das atividades em aberto. É importante, também, adotar uma metodologia para auxiliá-lo nessa etapa, como, por exemplo, a técnica do Pomodoro ou o método da Tríade do Tempo, que ajuda empreendedores a conciliarem e manter a harmonia e o equilíbrio entre família, trabalho e lazer. Criar rituais que simbolizem o início e o fim do período de trabalho também pode ajudar.

Fazer pausas é importante para não comprometer a qualidade do seu trabalho, mas não abuse. Determine intervalos para a alimentação, descanso e interação.

Crie uma agenda para garantir o cumprimento de todos os compromissos e prazos. Outra forma de manter a separação da esfera pessoal da profissional é reservar um espaço para o desenvolvimento de suas tarefas, ou seja, no seu escritório. Esse local deve contar com a estrutura necessária para a execução das suas atividades, como mesa, computador, telefone etc.

10. Busque atualização constante

Trabalhar como freelancer é estar constantemente correndo atrás de seus objetivos por conta própria e, para isso, você precisa se manter atualizado em seu segmento de trabalho. Pesquise, estude, leia muito, afinal, o mundo profissional muda com a velocidade cada vez maior, e você não pode deixar de acompanhá-lo.

Busque cursos de formação, participe de eventos, faça networking, acompanhe blogs e revistas especializadas, assista a filmes e leia livros sobre negócios. Conhecimento é, cada vez mais, um diferencial competitivo na Era da Informação. Benjamin Franklin já dizia que “investir em conhecimento rende sempre os melhores juros.”

Conclusão

Trabalhar como freelancer é muito atrativo – ganhar conforme a sua produção, flexibilizar horários e equilibrar a vida pessoal com a profissional.

Todas as dicas são essenciais para que você possa dar os primeiros passos nessa jornada. Trabalhar como freelancer é aprender com o tempo e por meio da experiência de outros profissionais que já obtiveram sucesso e têm muito a agregar. Tenha humildade, ouça conselhos e peça ajuda sempre que necessário.

Seja dedicado e insista em fazer o seu negócio prosperar. Força de vontade e disciplina, além de atualização constante, irão ajudar muito durante esse processo.

Então, pronto para começar a trabalhar como freelancer? Se você tem alguma dúvida, deixe seu comentário! Desejamos sucesso em sua jornada!