Como a linguística pode afetar sua capacidade de economizar?

Linguística e Economia: em qual país você mora? Sabia que o idioma falado pode ter relação com a capacidade de economizar da população? 

Muito se escreve sobre quais são os fatores que afetam o comportamento financeiro das pessoas. Alguns deles são mais evidentes, como o quanto elas ganham ou costumam gastar. E outros são um tanto inusitados. Aparentemente, a linguística influencia a sua capacidade de economizar. O economista comportamental Keith Chen apresenta um padrão fascinante de sua pesquisa: que línguas sem o conceito de futuro – “chove amanhã,” em vez de “vai chover amanhã” – estão fortemente correlacionadas com as taxas altas de poupança.

linguística
Chen traçou, em sua pesquisa, uma relação direta entre linguística e economia.

A aplicação do tempo futuro na linguagem varia de acordo com cada idioma. Em português, há uma diferenciação entre o presente e o futuro. Ao comentar o clima, dizemos “hoje está quente, amanhã estará quente”. É um caso bem diferente do chinês, no qual não há flexão de tempo verbal para diferenciar o presente do futuro. Segundo Chen, isso faz com que os nativos em determinadas línguas tenham que perceber constantemente uma separação entre futuro e presente, enquanto outros não pensarão nisso com tanta frequência.

O pesquisador realizou uma palestra para o TED sobre essa pesquisa, à qual foi gravada e legendada em português e está disponível abaixo:

AM_CTA_Facebook_eBook02_FormacaoGerencial