Navigation

Empreendedorismo
Como abrir uma startup e não falir?
Como abrir uma startup e não falir?

Nos últimos anos, pudemos vivenciar o boom das startups. Apesar de termos visto muitas delas crescerem e fazer sucesso, outras acabaram representando as famosas histórias de empreendedores que investiram tudo o que tinham e acabaram não conquistando o sucesso almejado.

Uma pesquisa realizada com startups brasileiras aponta que metade das empresas entrevistadas tem uma equipe menor ou igual a 3 pessoas. Dessas, 61% faturam menos de R$ 60 mil anualmente e 71% têm até dois anos de existência. Em 58% das empresas pesquisadas, o principal fundador se dedica integralmente ao sucesso da empresa. Esses números revelam que a maioria das startups brasileiras é muito jovem, e para se manter por mais tempo no mercado, são necessários alguns fatores básicos.

No artigo de hoje, listamos algumas dicas para que o seu negócio saia do papel e tenha mais chances de sucesso e continuidade, mas prepare-se: para que a história tenha um final feliz, você vai precisar estudar muito e se dedicar por completo à realização do seu sonho. Acompanhe.

1. Estude muito

Um bom empreendedor é aquele que não se cansa de aprender formas para melhorar seus produtos e serviços. Em geral, as pessoas acreditam que sabem o suficiente e, por isso, param de estudar e pesquisar. Nesse momento, suas ideias deixam de evoluir e o seu negócio também.

Se você quer abrir uma startup de sucesso, aprenda muito sobre o seu negócio, mas, também, sobre o mercado que você irá alcançar, contabilidade de pequenas e médias empresas, investimentos e outros assuntos essenciais para empreendedores.

Uma das formas de nunca deixar de aprender é por meio da leitura. Uma grande parte da literatura para startups está em inglês, por isso, caso você ainda não domine o idioma, é essencial aprendê-lo.  Confira algumas sugestões:

The hard thing about hard things

“A parte difícil das coisas difíceis”, em tradução literal para o português. Esse livro é do fundador da Andreessen Horowitz, um dos empreendedores mais respeitados do Vale do Silício. Enquanto muitas pessoas falam da maravilha de abrir um negócio, Bem Horowitz é muito honesto e conta as dificuldades e problemas que os líderes encaram todos os dias.

O Poder do Hábito

Nesse livro você entenderá como o seu cérebro funciona e cria novos hábitos. Também poderá, com a prática, substituir hábitos ruins por bons, essenciais para que empreendedores passem pelas etapas mais difíceis de criar um negócio até que este comece a fazer sucesso.

The Sales Acceleration Formula

Focado em estratégias para vender mais, esse livro expõe maneiras de tornar o seu negócio escalável e aumentar a sua receita. Qualquer pessoa que inicia uma Startup precisa aprender sobre vendas e esse livro dá algumas dicas importantes:

  • Contrate o mesmo vendedor de sucesso muitas vezes
  • Treine todos os vendedores da mesma forma
  • Forneça a mesma quantidade de Leads de qualidade para cada vendedor, todos os meses
  • Forneça tecnologia que permita uma melhor experiência para o fornecedor

Mais Rápido e Melhor

Esse livro desvenda os mistérios da produtividade de forma científica e inovadora, e se baseia nas últimas descobertas da neurociência, psicologia e economia comportamental. O ponto principal é que pessoas e empresas produtivas não só agem de forma diferente, mas também veem o mundo de outra maneira. A produtividade está diretamente relacionada às escolhas que fazemos e o modo que interagimos com as informações que temos na nossa frente.

2. Venda a sua ideia como a melhor

Você tem que comprar a sua ideia antes de vendê-la aos investidores e futuros clientes. Por isso, procure entender se ela realmente é útil e irá facilitar ou melhorar a vida das pessoas. Ideias como o Airbnb, que descomplica o processo de hospedagem ao redor de todo o mundo, surgiu como uma startup. No mercado brasileiro, as mais famosas são: PeixeUrbano, SambaTech, ClickOn, LikeStore, entre outras.

Quando os criadores dessas startups acreditaram que elas tinham um espaço para mudar a forma como compras, trocas, aluguéis e outros serviços aconteciam, eles apresentaram as ideia com paixão e dados de mercado para os investidores, que as compraram.

Uma ideia nova pode trazer incertezas, mas acreditar nela é fundamental. Por isso, estude muito o ramo que você gostaria de entrar.

3. Não faça tudo sozinho

Comece sua startup com alguém que acredita tanto no negócio quanto em você! Existem vários obstáculos na abertura de um negócio próprio, e quando você desanimar, seu sócio pode ser sua fonte de inspiração que o ajudará a se manter em movimento. Além disso, existe muita burocracia, principalmente no Brasil. Por isso, é necessário encontrar um parceiro que esteja preparado para enfrentar os desafios.

4. Desenvolva inteligência emocional

Um empreendedor nunca trabalha sozinho. Por isso, para ter sucesso em seus relacionamentos com sua equipe, é preciso desenvolver inteligência emocional, um conceito da neurociência sobre o controle das emoções próprias e de terceiros. Além disso, quem tem inteligência emocional tem capacidade de trabalhar bem em grupos e influenciá-los.

Pessoas emocionalmente inteligentes não se deixam abater pelo medo do fracasso ou pela opinião negativa de terceiros. Elas levantam depois de uma queda, aprendem com negócios que não deram certo e tentam algo novo. É difícil o sucesso ser alcançado logo na primeira tentativa, e pessoas emocionalmente inteligentes sabem disso!

5. Crie um negócio escalável

Alguns negócios chegam ao conhecimento do público e em questão de poucos dias viram moda – e todos querem adquiri-lo ou utilizá-lo. Por isso, antes de lançar seu produto, você deve verificar de que forma poderia atender um aumento de demanda logo nas primeiras semanas. De nada adiante 20 ou 200 mil pessoas querendo comprar o que você faz, se você é o único que sabe fazer e trabalha sozinho.

6. Conheça seus concorrentes e possíveis parceiros

Antes de abrir o negocio, investigue tudo, até os concorrentes e possíveis parceiros! Isso lhe proporcionará informações relevantes, indicando de que forma a sua startup pode se diferenciar. Busque agregar valor de uma forma diferente dos seus concorrentes ou, até mesmo, mirando um público-alvo novo.

Além disso, procure outras startups com produtos complementares ao seu. Essas empresas podem ser suas futuras parceiras de forma a garantir que mais pessoas conheçam os seus produtos.

O que pode fazer a sua startup ir à falência?

  • Time desmotivado
  • Pessoas não resilientes e pessimistas.
  • Falta de planejamento de custos
  • Pouca (ou nenhuma) escalabilidade
  • Dificuldade ou inexistência de investidores
  • Cabeça fechada e que negue realizar mudanças
  • Pouco ou nenhum conhecimento de mercado
  • Falta de conhecimento em vendas
  • Produto não atrativo para consumidor final
  • Falta de conhecimento do negócio
  • Brigas e desentendimentos entre os sócios
  • Falta de tempo dedicado aos seus consumidores
  • Inexistência de pesquisa de mercado anterior ao lançamento do produto
  • Projeto piloto não realizado com sucesso
  • Pouco marketing – ou investimento em marketing que não atingiu o público-alvo
  • Aversão às redes sociais
  • Falta de envolvimento dos donos
  • Falta de dinheiro para fluxo de caixa
  • Concorrência forte
  • Inovações dos concorrentes
  • Não escutar seu cliente

Investindo na ideia, no tempo e com as pessoas certas, há grandes chances de sua empresa crescer e se tornar muito conhecida. É importante se dedicar em encontrar as soluções certas para problemas reais das pessoas. Com isso, você terá razões suficientes para convencer investidores a colocarem dinheiro na sua ideia.

Gostou desse artigo? Já teve uma ideia inovadora para criar uma Startup? Escreva para gente nos comentários e nos conte qual o seu maior receio como empreendedor!

am_cta_ebook08_guiaempreendedor

A equipe de Redação da Ambra é formada por profissionais especializados em redação, marketing, finanças, empreendedorismo, administração e gestão. Estes profissionais são os responsáveis por criar conteúdo informativo e que ajudam a inovar e resolver problemas do mercado.