Como e por que montar o planejamento anual de sua empresa para 2016?

O segundo semestre é quando tradicionalmente os empresários começam a planejar o ano seguinte. Essa iniciativa serve para confirmar estratégias, definir metas, estipular ações, avaliar cenários, pensar em alternativas e oportunidades de negócio.

Um dos principais benefícios do planejamento anual é a possibilidade de reavaliar a empresa, já que, muitas vezes, a rotina está mais relacionada à operação, distanciando o empresário de uma gestão mais assertiva e direcionada a resultados, conforme a sua formação gerencial.

Através do planejamento anual é possível estruturar as atividades, orçamentos e investimentos de forma inteligente, evitando, assim, diversas perdas. Vale lembrar que um dos principais fatores que levam uma empresa ao fechamento é exatamente a falta de planejamento.

Porém, para realizar um planejamento seguro e confiável, é preciso analisar vários dados, como estatísticas, tendências de mercado, concorrentes, novas tecnologias e, então, determinar os macro-objetivos da empresa para o próximo ano.

Conheça agora alguns passos para montar um planejamento anual completo para 2016:

Faça um balanço de 2015

Além do balanço financeiro, é importante preparar um levantamento sobre todas as ações realizadas ao longo do ano e perceber a efetividade de cada uma delas. Nesse contexto, é preciso avaliar o impacto dessas decisões em diversos indicadores, como:

  • Produtividade;
  • Lançamento de novos produtos e serviços;
  • Aumento do número e fidelização dos clientes;
  • Impactos de campanhas de marketing;
  • Redução de custos operacionais;
  • Melhorias em processos internos;
  • Faturamento.

Essa análise é necessária para iniciar o planejamento anual, corrigindo erros anteriores.

Defina metas

A definição das metas deve começar com o desdobramento dos objetivos macro da empresa, ou seja, dos objetivos mais importantes para o negócio — como resultados financeiros, volume de vendas e participação no mercado.

Partindo dessa premissa, as metas precisam colaborar para o atingimento dos objetivos e, por isso, precisam ser coerentes e factíveis.

Todos os gestores, equipes e colaboradores devem ter suas respectivas metas, de acordo com o cargo, limites de atuação e know-how, de modo a reforçar o comprometimento geral e o senso de pertencimento.

Dependendo do tamanho da empresa, o mais recomendável é dividir essa tarefa com os líderes de cada setor, para que possam analisar parâmetros e critérios, além de colaborar com ideias, sugestões e projetos.

Estabeleça o orçamento

Em paralelo, é preciso estabelecer os valores destinados a operação e também aos novos investimentos. Considerando as metas definidas, é possível calcular qual o aporte necessário para:

  • Folha de pagamento;
  • Treinamentos e capacitação;
  • Aquisição de equipamentos e tecnologia;
  • Ampliação da infraestrutura;
  • Entre outras coisas.

Nesse caso, é essencial elaborar um cronograma para todas as ações durante o ano, de modo que haja uma previsão mais clara das saídas financeiras e dos consequentes impactos no fluxo de caixa e no capital de giro da empresa.

Explore o calendário

Datas ou períodos importantes para o negócio devem ser bem explorados, por isso, é necessário planejar ações especiais, com antecedência. Também é preciso provisionar recursos adicionais. Com o planejamento pronto, é mais simples partir para a execução, ganhando assim, agilidade e eficiência.

Analise os fatores externos

O planejamento anual deve admitir a influência de fatores externos, em especial, a retração da economia e a crise política instaurada no país.

O aumento da taxa de desemprego, a restrição ao crédito, a inflação, a alta do dólar perante o real e as sucessivas previsões de queda do PIB (Produto Interno Bruto) são componentes que devem ser considerados, de forma a propiciar mais planejamento mais sólido e transparente.

Além disso, é importante realizar uma análise setorial, já que os impactos são diferentes em cada nicho de mercado. Pesquisas, consultas a associações de classe, participação em grupos de debates e eventos relacionados à área de atuação, leitura de notícias e estudos específicos — feitos por especialistas — são iniciativas necessárias para compor uma visão mais realista e abrangente do contexto que envolve 2016.

Projete diferentes cenários

Diante de tantas variáveis e incertezas, o planejamento anual deve contar diversos cenários, dos mais otimistas aos mais pessimistas. Assim, é essencial desenvolver uma série de hipóteses, além de definir medidas proativas e reativas para cada cenário.

Nesse ponto, muitos fatores também devem ser incluídos, como previsões de aumento de custos e novos impostos — ou ainda políticas de incentivo do governo a determinados segmentos e desoneração da folha de pagamento, na intenção de reanimar a economia brasileira.

Elabore plano de contingência

O plano de contingência é necessário para evitar impactos maiores ao negócio em situações críticas ou de emergência. Assim, também é preciso provisionar recursos financeiros, bem como definir ações que permitam a continuidade das operações.

Para tanto, o empresário deve avaliar quais são os principais riscos que envolvem o negócio e os prejuízos decorrentes de cada circunstância mapeada. A contratação de seguros e de empresas especializadas para realização de tarefas secundárias colaboram para a mitigação desses riscos.

Invista em inovação

A inovação passou a ser um elemento fundamental a todos as empresas, por isso, também deve estar contemplado no planejamento anual. É importante que o empresário assuma o papel de líder.

Ele deve incentivar o pensamento criativo e a colaboração das equipes, no sentido de encontrar soluções para os atuais problemas. Também deve desenvolver novos produtos mais aderentes ao perfil e as necessidades do consumidor e otimizar processos internos, evitando desperdícios e custos desnecessários.

Projetos inovadores devem fazer parte do planejamento, principalmente em tempos de crise.

Documente o planejamento anual

O planejamento anual deve ser devidamente documentado através de arquivos eletrônicos ou impressos — mas sempre acessíveis. Parte deste planejamento deve ser compartilhado com os gestores e colaboradores para que todos possam compreender o que deve ser feito para atingir as metas preestabelecidas.

Ferramentas de gestão à vista podem ser bastante úteis nesse processo de divulgação e engajamento. Periodicamente, o empresário deve rever metas, datas e prioridade, bem como os planos para os diferentes cenários de acordo com os acontecimentos. Desse modo, é mais fácil realizar ajustes, sempre que necessário.

Antecipe as ações

Com o planejamento anual definido, o empresário pode antecipar algumas ações importantes, a fim de conquistar vantagens competitivas. Renegociar contratos com fornecedores em busca de melhores condições ou mesmo homologar novos fornecedores são boas iniciativas.

Você já concluiu o planejamento anual de sua empresa para 2016? Então compartilhe conosco as suas impressões e dicas para uma gestão mais eficiente no próximo ano! Aproveite a visita em nosso blog e leia “Como fazer um plano de carreira pessoal?”.