Como fazer um plano de carreira pessoal?

Businessman growing success. Rocket fly up, winner person, vector illustration

A não ser que você seja alguém de muita sorte, deixar-se levar sem rumo na sua carreira só costuma gerar dois resultados: continuar crescendo sem problemas, mas com uma insatisfação latente e o sentimento de que não é isso que queria estar fazendo, ou, na pior das hipóteses, não conseguir manter os avanços e terminar perdido no que parece um beco sem saída na profissão.

Mas como fazer um plano de carreira pessoal e solucionar essas questões? A resposta é simples: você precisa refletir sobre o que realmente quer.

Continue a leitura para descobrir como elaborar o seu plano e traçar o seu próprio caminho em direção ao sucesso!

Comece por se conhecer

Pode parecer um clichê de autoajuda, mas a verdade é que o autoconhecimento é mesmo o primeiro passo para montar o seu plano de carreira pessoal. Afinal, sem saber quem você é e aonde gostaria de chegar, fica impossível decidir qual direção tomar.

Pergunte-se: “o que eu gosto de fazer?” Essa questão está relacionada à motivação no trabalho e será essencial para que você se sinta satisfeito com sua futura carreira.

Procure a resposta nos seus hobbies, interesses pessoais e até em cursos e disciplinas da escola ou faculdade de que gostou em especial. Em que área ou profissão você acredita que se sentiria mais feliz?

Siga o autoconhecimento identificado no que você é bom. Pergunte o que você faz em um nível realmente alto. Pensar no que as pessoas pedem para você fazer ou te perguntam como fazer pode ser um bom identificador para encontrar o que você é realmente bom.

Faça uma lista com dois temas: o que gosta em você e o que é bom em fazer. Procure encontrar tópicos nas duas listas: “sou bom nisso e amo fazê-lo”. Assim, é possível identificar o ponto máximo que unirá algo com o qual você tem facilidade e que também desperta sua paixão.

Agora, resta saber se isso é o que o que quer desenvolver ou se você quer seguir em outra linha e terá que desenvolver novas habilidades e competências. De qualquer forma, é sempre importante seguir aprimorando o que você é bom ou desenvolvendo competências em temas de que gosta.

Saiba onde você quer chegar

Defina o seu objetivo. Assim fica simples e fácil conseguir organizar uma direção e trabalhar para atingi-la. Sem rumo, porém, não se chega a lugar algum.

Elabore uma lista de expectativas

Faça com que essa lista responda a perguntas essenciais, como:

  • O que você faz bem (e mal), tanto pessoal quanto profissionalmente?
  • Deseja ficar nesse emprego e se aprofundar na respectiva carreira?
  • Se você deseja mudar de carreira, espera aumento salarial ou o dinheiro é secundário no momento?
  • Você se vê como um gestor de pessoas ou prefere trabalhar sozinho?
  • Quais áreas mais atraem você e por quê?
  • O que você já tem feito para se desenvolver nesses setores?
  • Quais possibilidades você considera empolgantes?
  • Em qual empresa gostaria de trabalhar? O que faz com que ela seja importante para você?
  • Quer ter um negócio próprio ou se tornar freelancer?
  • Em quais carreiras suas aptidões seriam mais bem aproveitadas?

Conheça também o mercado

Depois de listar aquilo que você gosta de fazer, é preciso passar a uma atitude um pouco mais realista: reflita sobre o que, dentro daquilo que te agrada, tem chances reais de te levar ao sucesso.

Para isso, você vai precisar estudar um pouco a situação atual do mercado, pensar em quais são suas verdadeiras aptidões e procurar conhecer as previsões relacionadas às áreas de interesse levantadas no passo anterior.

Pode ser interessante fazer, inclusive, uma análise SWOT da sua situação. Apesar de ser usada, normalmente, no contexto de planejamentos estratégicos de grandes empresas, a metodologia também pode se aplicar ao seu plano pessoal. Nela, você listará:

  • Suas forças (strengths), ou seja, seus pontos fortes;
  • Suas fraquezas (weaknesses) ou pontos fracos;
  • As oportunidades (opportunities) que têm se apresentado a você, ou que existem no mercado atualmente;
  • As ameaças (threats) que podem te atrapalhar.

Desse modo, você pode ter uma visão mais clara das suas competências e de aonde elas podem te levar, escolhendo um objetivo possível que, ao mesmo tempo, atenda seus desejos.

Trace metas para alcançar seu objetivo

Depois de descobrir aonde você quer chegar, fica mais fácil planejar o caminho pelo qual você terá que passar — quase como em uma viagem. Para isso, pense nas etapas que terá que percorrer e crie metas de longo prazo.

Imagine o que vai precisar fazer daqui a 5, 10 e 15 anos para chegar aonde quer e monte uma espécie de escada que vai representar o seu caminho.

Inspirar-se na trajetória de profissionais que fazem algo parecido com o que você quer daqui a alguns anos pode ser uma boa ideia para traçar suas metas. Só não se esqueça de que casos excepcionais raramente acontecem mais de uma vez.

Por isso, o ideal é se inspirar em quem subiu na vida por mérito próprio, e não por um mero golpe da sorte ou das circunstâncias.

Elabore estratégias de curto prazo

Com suas metas prontas, já é possível visualizar as etapas pelas quais você terá que passar para atingir seu objetivo. No entanto, isso não é suficiente para que você chegue lá.

As metas são apenas direcionamentos para que você não se perca no meio do caminho. Para alcançá-las progressivamente e no prazo esperado, é preciso planejar, também, sua trajetória até cada uma delas.

É como se o seu plano de carreira pessoal fosse uma régua e as metas marcassem os centímetros, mas, para atingi-los, você também precisa planejar como chegará a cada milímetro do caminho.

Isso significa se perguntar, basicamente, o que falta para que a sua próxima meta seja atingida: se ela for uma promoção no trabalho, o que você deve fazer para consegui-la? Se for uma pós-graduação, do que precisa para conseguir o certificado o quanto antes?

Fazer essas perguntas vai te ajudar a traçar uma via precisa até o seu objetivo, além de motivá-lo a agir para tirar o plano do papel.

Fale com seu representante de RH

Se você se sente bem na empresa atual, mas não gosta das atividades profissionais que exerce, uma boa ideia é procurar o responsável pelo RH para saber mais sobre quais carreiras estão disponíveis na própria organização.

Obviamente, ele estará interessado em se certificar que você seja bem sucedido em seu trabalho corrente e que permaneça com eles, então esta conversa pode ser benéfica. Em todo caso, use o bom senso e descubra antes se é possível estabelecer, sem problemas, esse tipo de diálogo.

Faça um teste de personalidade profissional

Existem bons testes de personalidade profissional online. A maioria deles inclui elementos que o ajudarão, também, a avaliar sua carreira. Isso será útil para que você conheça quais carreiras fazem uso intenso das habilidades que você possui.

Converse com as pessoas sobre como fazer um plano de carreira pessoal

O “boca a boca” é a melhor maneira de descobrir como traduzir suas paixões em uma carreira na qual você possa se sentir realizado. Converse sobre o assunto com amigos, familiares e, até mesmo, com colegas de trabalhos anteriores.

Destaque suas preferências e pergunte se conhecem algum trabalho que se relaciona com elas. Com certeza, você se surpreenderá ao ver muitos elementos que parecem não importar com o fato de seu trabalho atual ser a espinha dorsal de outras carreiras.

Para exemplificar, acompanhe:

Luciana, em seu trabalho, irrita-se ao enviar, diariamente, e-mails maçantes e enfadonhos a clientes e prospects. É um processo longo e tedioso, e ela gostaria de contar com ferramentas que a ajudassem a cumprir a tarefa.

No entanto, Luciana realmente gosta de conferir a quantidade de pessoas que abrem esses e-mails, qual o histórico de compras de quem lê cada tipo de mensagem e as ações que realizam a partir daí.

Sob a perspectiva dela, é apenas algo sem muita importância que seu chefe não tem vontade de fazer, então ela mesma faz.

O que Luciana não sabia é que em outras empresas essa atividade é chamada de análise de campanha (campaign analysis) e, de fato, há ferramentas que a facilitam (sem mencionar que ela receberia um salário maior do que o atual se trabalhasse diretamente na área).

Se você tiver, também, uma imagem clara sobre as características que aprecia em seu trabalho, será mais fácil encontrar uma carreira que ofereça a você a oportunidade de fazer o que gosta todos os dias.

Aposte na sua formação

Ninguém duvida que o mundo, hoje, esteja mudando rápido. Aparelhos eletrônicos ficam ultrapassados em questão de meses e, só de pensar em como as coisas eram há 5 anos, pode-se perceber a velocidade com que tudo tem se transformado.

E não apenas no que diz respeito à tecnologia: a maneira como vemos outras pessoas, nossas diferenças e nosso rumo na vida também muda rapidamente. Nesse contexto, não é de se estranhar que o mercado de trabalho exija atualização constante de todos os profissionais.

Independentemente do seu objetivo, portanto, é fundamental que o seu plano de carreira contemple uma educação continuada, que te destaque diante de concorrentes, um upgrade regular no currículo e uma atenção especial às novidades e transformações na sua área, pois, como já vimos em outro post aqui do blog, apenas o diploma já não é garantia de emprego atualmente.

Saiba gerenciar a sua carreira

Por fim, com o seu plano de carreira pessoal elaborado, é preciso colocá-lo em prática com cuidado. E para isso você vai ter que aprender sobre gerenciamento de carreira.

Gerir a sua trajetória requer que você saiba adaptar o plano à realidade, aproveitar as oportunidades que surgirem no seu caminho — não perdendo a chance de melhorar o networking, por exemplo — e manter firmes as rédeas de sua vida profissional, levando-a para onde você deseja (e não simplesmente para onde o curso da vida quer arrastá-lo).

Somente assim você vai conseguir atingir seus objetivos, mantendo-se determinado e resiliente, e terá como fazer um plano de carreira pessoal.

Gostou do nosso artigo? Assine nossa newsletter e receba mais conteúdos para aprimorar sua carreira!