Downsizing: enxugue custos e otimize seus recursos

downsizing

Você já deve ter ouvido outros empresários afirmando que “o mercado não está pra peixe”, não é? A cada ciclo de instabilidade econômica, a concorrência acirrada e um mercado cada vez mais exigente, fica cada vez mais difícil manter uma empresa sempre no positivo e sobreviver pagando as contas regularmente.

Com a euforia da economia brasileira na primeira década dos anos 2000, era natural que as empresas investissem em mais pessoal e equipamentos para atender aos fins comerciais mais imediatos daquela época.

No entanto, com a retração econômica a partir de 2012, boa parte dos empresários não teve outra alternativa se não a de enxugar a estrutura da sua empresa para que ela pudesse funcionar de modo mais otimizado e com menores custos.

Sem uma data certa para a crise acabar, a grande pergunta dos empreendedores é: como conseguir manter os negócios competitivos e lucrativos em um cenário como esse?

Se o seu negócio tem enfrentado problemas para fechar as contas, este artigo é para você! Vamos apresentar, a seguir, o Downsizing, uma técnica que tem como objetivo eliminar a burocracia e os custos desnecessários, permitindo que sua organização retome o crescimento. Confira!

Afinal, o que é Downsizing?

O Downsizing, que em português poderia ser traduzido como “achatamento”, é uma técnica que chegou ao Brasil na década de 1980, como uma estratégia de redução de custos, estrutura e de processos considerados desnecessários. Seu principal objetivo é o de tornar a empresa o mais eficiente e enxuta possível.

Normalmente, o primeiro passo para o Downsizing é iniciar processos de horizontalização da empresa, reestruturação dos recursos humanos e achatamento da estrutura.

Essa diminuição da estrutura organizacional pode ser feita por meio da interrupção de contratação de funcionários, de transferências e incentivo a aposentadorias. No entanto, a maneira mais usual de diminuir o tamanho organizacional são as demissões. Em teoria, reduz-se a burocracia corporativa e, consequentemente, os custos administrativos.

Uma das vantagens do Downsizing é que você terá a chance de dimensionar melhor o seu negócio para um tamanho mais realista e gerenciável. A redução de capacidade obriga a organização a reavaliar seus processos e a reescrever seu plano de negócios para refletir o cenário econômico atual.

Essa prática pode ser temporária ou mesmo permanente, dependendo da necessidade do seu negócio, e ser realizada em diferentes setores da empresa.

Ao atingir um crescimento sustentável, a organização poderá expandir seu mercado, modernizar-se, aprimorar produtos e serviços e excluir a burocracia interna desnecessária.

Benefícios do Downsizing

Em um primeiro momento, pode ser difícil deixar os sentimentos pessoais de lado e tomar decisões que reduzirão recursos e que promoverão o encolhimento de equipes.

A redução de pessoal, por exemplo, não é uma decisão fácil, pois, eventualmente, você irá perder alguns talentos nesse processo.

No entanto, às vezes, esse pode ser o primeiro passo para salvar a sua empresa de ir à falência. O Downsizing deve ser visto como uma tarefa importante para colocar sua organização no caminho certo, rumo à estabilidade financeira.

Confira, a seguir, alguns dos benefícios de utilizar a técnica:

Poupança financeira

Com menos burocracia, recursos e pessoal drenando seu caixa, sua empresa terá mais dinheiro para investir em áreas consideradas prioritárias e que ajudarão a organização a se estabilizar.

Futuramente, com a estabilidade conquistada, será possível aumentar, novamente, os recursos e o número de funcionários, quando a empresa estiver indo bem financeiramente.

Redução de retrabalhos

Com uma empresa “inchada”, é muito comum encontrarmos retrabalho ocorrendo em diferentes níveis e departamentos.

Em um processo de redução de recursos, com menos pessoas trabalhando, você terá que repensar quais são as tarefas que realmente são importantes para o seu negócio e descartar as que não são.

Dessa forma, a empresa se torna mais eficiente e economiza dinheiro e tempo de sua equipe, que poderá utilizá-lo em tarefas que realmente gerem diferenciais competitivos para o negócio.

Criatividade

Aqui, entra o famoso “jeitinho brasileiro”. Com equipes enxutas, os processos devem ser repensados para se tornar mais eficientes e efetivos, garantindo o pleno funcionamento do seu negócio, mesmo em uma época mais apertada.

Com criatividade, gestores e suas equipes devem inovar para fazer mais com menos recursos. O saldo será positivo, levando os times a trabalharem com mais produtividade e eficiência, permitindo que seu negócio tenha respostas mais rápidas às ações dos seus concorrentes.

As desvantagens do Downsizing mal executado

Infelizmente, nem tudo são flores. A reorganização, a redução de pessoal e o endividamento são termos usados para justificar a eliminação de cargos e departamentos.

Essa decisão não pode ser tomada à revelia, pois uma redução mal planejada poderá afetar uma parcela significativa da sua empresa, impactando no trabalho de outros funcionários, em projetos em andamento, no atendimento de clientes e, até mesmo, no clima organizacional.

Veja algumas desvantagens que o processo de Downsizing mal executado pode trazer para a empresa:

  1. Perda de capital humano
  2. Comunicação
  3. Perda da reputação

Perda de capital humano como desvantagem

Ao realizar demissões em massa, sua empresa ficará órfã de parte da sua experiência produtiva. Todo aquele conhecimento de processos que o funcionário adquiriu ao longo dos anos será perdido, o que demandará futuramente novas contratações e treinamentos para suprir a falta de antigos talentos.

Métodos de resolução de problemas, preferências dos clientes, abordagens operacionais e histórico da empresa são algumas das áreas de informação que podem ser perdidas durante uma reestruturação da empresa mal executada.

Comunicação como desvantagem do Downsizing

Com equipes reduzidas, os funcionários restantes podem ter dificuldades para criar novos laços pessoais e encontrar informações sobre processos e atribuições, ou quem são os responsáveis pelos projetos em andamento.

A perda de uma antiga estrutura de comunicação pode interromper o fluxo de ideias e informações dentro da empresa, tornando o ambiente menos colaborativo e mais individualista.

Por isso, o Downsizing deve ser planejado com antecedência, prevendo campanhas de sensibilização e de comunicação aberta e transparente com quem ficará na empresa.

Perda de reputação no Downsizing

Dependendo da forma como você realizar as demissões, antigos funcionários descontentes podem se transformar em fontes de problemas de Relações Públicas, e até mesmo de ações judiciais para sua empresa.

A má reputação pode se espalhar, inclusive, internamente, entre os funcionários que foram poupados da demissão. Com mais responsabilidades, assumindo as atribuições de antigos colaboradores ao mesmo tempo em que presenciam uma redução de regalias e benefícios, pode-se criar um ambiente com elevado nível de estresse e de baixa produtividade.

O Downsizing na prática

Como vimos, antes de qualquer redução, o planejamento é fundamental para o Downsizing, caso contrário, todo esforço poderá não surtir o efeito esperado.

Nesse planejamento, deve-se incluir uma definição clara de metas e objetivos de curto e longo prazo a serem alcançados. O projeto de implementação do Downsizing envolve também:

  • Análise dos custos e da evolução de indicadores.
  • Avaliação do valor agregado ao produto.
  • Eliminação de posições e níveis hierárquicos.
  • Simplificação da estrutura.
  • Otimização de seus recursos humanos.
  • Análise da viabilidade de terceirização de serviços.
  • Reavaliação dos critérios de análise de desempenho pessoal.

A coleta de dados, por meio de pesquisas internas com colaboradores, pode ser um primeiro passo para identificar oportunidades e trazer mais eficiência, produtividade e redução de custos para a empresa.

O programa de demissão voluntária pode ser uma boa alternativa para que as medidas do Downsizing não sejam tão devastadoras para a estrutura da empresa.

Outra alternativa é reduzir a jornada de trabalho dos funcionários (desde que essa iniciativa seja permitida pela convenção coletiva), cortar horas extras e fazer férias coletivas. Tais medidas podem ajudar o empregador a controlar os custos e a manter todos os funcionários necessários na folha de pagamento.

O Downsizing pode ser a estratégia necessária para salvar o seu negócio. Dessa forma, faça o que for preciso para reduzir os custos ao mínimo e otimizar seus recursos, para que você possa iniciar o processo de reconstrução e retomada do crescimento da sua empresa.

E você, já conhecia a técnica do Downsizing? Como sua empresa tem trabalhado para se manter relevante no mercado diante da atual crise econômica? Conhece outras técnicas para reduzir a burocracia das empresas? Compartilhe suas dicas e experiências nos comentários!

AM_CTA_Facebook_eBook02_FormacaoGerencial