Conheça 8 filmes sobre Marketing para estudantes

Voltamos a apresentar uma das seções de maior sucesso do nosso blog, com dicas de filmes e séries de TV que se relacionam com o que o aluno da Ambra aprende em sala de aula, seja no curso de Direito ou de Administração.

Hoje é dia de falar de filmes sobre Marketing, área de uma empresa que trabalha as vendas, a comunicação e o desenvolvimento do negócio.

1. Jerry Maguire – A Grande Virada (1996)

Depois de uma crise de consciência, o bem-sucedido agente esportivo Jerry Maguire (Tom Cruise) escreve um documento defendendo que os agentes deveriam cuidar da carreira dos atletas de forma mais humana, ainda que isso significasse ganhar menos.

Depois disso, acaba sendo demitido da consultoria onde trabalhava e perde seus clientes, à exceção do jogador de futebol americano Rod Tidwell (Cuba Gooding Jr).

O filme aborda muito bem o marketing de relacionamentos, especialmente na questão de gestão cliente x profissional do atendimento. Também aborda a fidelidade e maneiras criativas de cativar seu cliente.

2. Do que as Mulheres Gostam (2001)

Mel Gibson interpreta Nick Marshall, um publicitário machista que após sofrer um grave acidente adquire o dom de ler o pensamento das mulheres.

A situação começa a esquentar quando seu tão sonhado cargo de diretor de Criação é preenchido por Darcy McGuire (Helen Hunt), uma mulher tão capaz de realizar anúncios publicitários quanto ele.

Este filme mostra uma questão importante no Marketing: compreender o ponto de vista alheio. O aprendizado do filme é saber ouvir seu cliente e melhorar o relacionamento com ele.

3. Amor por Contrato – The Joneses (2009)

Amor por Contrato  é uma interessante crítica contra os abusos do marketing e o descontrolado excesso de consumo da sociedade moderna. O filme mostra uma luxuosa família que acaba de mudar para um bairro novo.

A bela Kate (Demi Moore), o simpático maridão Steve (David Duchovny) e os charmosos filhos Mick (Ben Hollingsworth) e Jenn (Amber Heard) formam a família perfeita, que imediatamente passa a ser o centro das atenções, sempre pelos melhores motivos.

Eles são lindos, ricos e felizes, simplesmente a família perfeita. Os Joneses representam a família perfeita com dinheiro, beleza e consumindo produtos e serviços de primeira linha.

O detalhe: eles não são uma família de verdade e sim empregados de uma empresa de marketing que ganham vida induzindo os vizinhos e amigos a consumirem.

Os Joneses representam o casal perfeito com os filhos adolescentes que levam uma vida dos sonhos de muitas pessoas em termos de consumo. Eles sabem bem como fazer os demais desejarem e comprarem os que eles ganham e são pagos para ampliar o consumo.

Família Joneses, grandes influenciados de consumo em sua comunidade.Porém, essa família perfeita na verdade é uma farsa. Eles fazem parte de uma campanha de “marketing pessoal” que pretende vender diversos produtos luxuosos a famílias de todo o mundo.

A família Joneses está literalmente vendendo o sonho americano.

A diferença é que eles são pagos para viver esse sonho e disfarçar seus verdadeiros segredos.

Afinal, viver uma família de fantasia é algo bem complicado e difícil, mas o Joneses encaram com um trabalho normal.

O conceito principal é baseado no Marketing Pessoal de cada membro da “família Joneses”.

A idea é desenvolver o desejo de ser igual ou parecido com o membro da família e, naturalmente, esses passarão a consumir o que os Joneses consomem.

Interessante, não? você conhece alguém que consome algo porque uma outra pessoa o influencia direta ou indiretamente, conte-nos nos comentários.

A grande lição de marketing do filme é o poder dos influenciadores. Uma vez que você conseguir pessoas que sejam “evangelistas”, promotores de sua marca, com potencial de influenciar aqueles que estão ao seu redor, sua empresa vai crescer as vendas naturalmente.

É um melhor do boca a boca é o desejo de pertencer a um grupo, de ser aceito que fará com que os influenciados adquiram seus produtos. No entanto, sempre lembre-se, assim como no filme, é essencial ter produtos e serviços de alta qualidade.

4. Cidadão Kane (1941)

O clássico de 1941, Cidadão Kane, não pode ficar de fora da lista porque mostra exatamente como fazer uma narrativa simples e clara. Atualmente, a storytelling, comunicação baseada em eventos com uma boa narrativa, é uma das melhores  e mais efetivas técnicas do marketing.

O filme Cidadão Kane é uma grande aula de storytelling e, por isso motivo, recomendamos a todos os profissionais de marketing.

Então, gostou da série de filmes? Qual deles mais chamou a sua atenção? Alguma recomendação de filme para colocarmos na lista, adicione nos comentários.

5. A Onda (2008)

Ao dar uma aula a respeito de autocracia e de como um indivíduo pode concentrar o poder sobre todos os níveis do Estado — e das massas, consequentemente —, o professor Rainer Wenger (Jürgen Vogel) promove um experimento com os seus alunos: eles formam um governo fascista.

Com o desenrolar do projeto — intitulado A Onda —, o governo interno daquela escola desenvolve um uniforme próprio, uma saudação exclusiva e características que passam a refletir as ideias autocráticas exploradas pelo professor nas aulas.

A mensagem é impactante, pois está intimamente ligada à propaganda política nazista e como ela se espalhou facilmente pela Alemanha das décadas de 1930 e 40.

Essa influência passa a repercutir em outros aspectos, como o comportamento dos alunos, e destaca o poder da mensagem certa, para o público certo, e no momento certo. A influência e a manipulação parecem ser divisadas por uma tênue linha.

E, ao observamos sob essa perspectiva, é nítido que os objetivos e a responsabilidade dessas campanhas devem ser muito bem ponderadas antes de serem aplicadas pelas empresas.

6. Chef (2014)

Ao se demitir de um prestigiado restaurante, o chef Carl Casper (Jon Favreau) encontra ampla resistência para se recolocar no mercado de trabalho, por um motivo singular: sua imagem viralizou após um desentendimento com um crítico gastronômico (Oliver Platt).

Aos poucos, Casper conta com a ajuda de seus familiares e amigos para colocar em movimento — literalmente — um restaurante itinerante, trabalhando do jeito que sempre quis explorar a arte gastronômica.

Embora tenha passado com pouco alarde nos cinemas brasileiros, o filme explora um conceito ainda em expansão no país: os food trucks e a relação deles com o consumidor.

A trama concentra os altos e baixos da empreitada do chef Carl Casper por meio de cenas que nos fazem refletir sobre gerenciamento de crises (como a da sua imagem após a discussão com o jornalista) e o Marketing Digital por meio das redes sociais (que é o seu grande trunfo para se fazer conhecido e atrair novos clientes).

Além disso, o relacionamento com o consumidor é também muito bem explorado durante o filme. Chef é um dos filmes de Marketing que apresenta uma visão atual a respeito de como se aproximar e fidelizar os clientes. Algo fundamental para quem empreende em startups, hoje em dia — itinerantes ou não.

7. Obrigado por fumar! (2005)

O cigarro é uma controversa indústria — e há quem seja pago para defendê-la a todo custo. É o caso de Naylor (Aaron Eckhart), representante de uma das grandes empresas do setor, que tem a missão de tornar a imagem do consumo de cigarro menos agressiva.

E isso significa, muitas vezes, contornar a verdade e maquiá-la para não criar alarde e, assim, impactar nos lucros anuais da empresa.

O filme, que recebeu boas críticas, é um retrato interessante de como se constrói e mantém a imagem de uma empresa — por mais negativa que seja —, da mesma maneira que explora os meios para influenciar a opinião do consumidor.

Uma cena que apresenta isso é a discussão que ocorre a respeito do cachê que as celebridades hollywoodianas cobram para fumar, em determinado filme, ou mesmo a imagem negativa que os estúdios cinematográficos criaram a respeito dos cigarros, décadas atrás, ao colocar somente os vilões com um cigarro na boca.

8. No (2012)

O longa-metragem chileno conta com a direção de Pablo Larraín (do cult Tony Manero) e se passa durante a ocupação do ditador Augusto Pinochet, no ano de 1988.

O momento é de pura tensão, pois transcorre a partir da missão do jovem publicitário René Saavedra (Gael García Bernal) em criar toda a campanha para influenciar os cidadãos a votarem pelo fim da Ditadura Militar no país.

Do conceito de uma campanha publicitária à sua execução — bem como as duras resistências que se impõem pelo caminho —, o filme é um cruel retrato de como a mensagem pode ser transmitida, aplicada e absorvida.

E, agora, que tal você nos ajudar a expandir ainda mais esta lista com filmes sobre Marketing? Deixamos o seu longa-metragem favorito de fora? Basta compartilhar as suas indicações no campo de comentários deste post!

Trilha de aprendizagem: desenvolvendo sua marca pessoa.
SHARE
Previous articleDicas para quem vai prestar concurso
Next articleRede social para aproximar países de língua portuguesa
Engenheiro por formação e educador por paixão. Tenho a educação como paixão pessoal e profissional, por gostar de estar sempre ensinando e aprendendo. Estou sempre disposto a ouvir pontos de vistas e argumentar sobre diversos assuntos. Como hobbies, gosto de jogar poker e conversar sobre investimento e finanças pessoais.