O que a inovação disruptiva tem a ver com a educação empreendedora?

inovação-disruptiva

Você já se perguntou o que a inovação disruptiva tem a ver com a educação empreendedora? Será que é possível, com auxílio do conhecimento adquirido nas universidades, aprender a inovar e encontrar novas formas de se destacar do mercado?

Atualmente, as grandes empresas buscam gestores inovadores para fazer com que seus negócios continuem evoluindo. Com isso, a educação empreendedora está se tornando cada vez mais importante (e necessária!) no ambiente acadêmico.

Seja para quem já possui uma empresa, para quem deseja ter o seu próprio negócio ou seja para pessoas que buscam cargos em grandes corporações, a universidade tem se tornado fundamental para semear e ajudar a consolidar uma cultura de inovação.

Quando juntamos a educação empreendedora com os processos de inovação disruptiva, temos como resultado aqueles gestores (e empresas) que se destacam dos concorrentes e encontram na inovação uma maneira de continuarem líderes de um segmento ou de um setor específico.

Para ajudá-lo a compreender um pouco mais sobre a inovação disruptiva e a sua importância dentro do processo da educação empreendedora, preparamos este post. Confira!

A inovação disruptiva

Quando falamos de inovação disruptiva estamos nos referindo a uma inovação que visa transformar o mercado, com simplicidade, conveniência e acessibilidade. Essa inovação pode ocorrer com a criação de um novo nicho ou desestabilizando os concorrentes que antes dominavam determinado segmento.

Em outras palavras, significa criar algo mais simples, mais barato (do que o produto já existente), para atender a um público diferente, que antes não tinha acesso a um determinado produto ou serviço. Com o tempo, essa ideia acaba englobando todo um segmento de consumidores, trazendo muitos benefícios para a empresa e sua marca.

Para isso, é importante compreender os produtos e os processos de produção de uma empresa, para encontrar pontos que possam ser melhorados e ampliados, além de estudar cada vez mais o mercado consumidor, para descobrir quais são suas necessidades e desejos.

Dessa forma, a inovação disruptiva pode ser vista como um avanço que possibilita a melhoria de produtos e serviços, possibilitando modificar o mercado e encontrar novos segmentos para um mesmo produto. Isso tudo fazendo com que a inovação aconteça sem tantos investimentos, utilizando os recursos já existentes dentro da empresa.

Justamente pela importância da inovação que o ensino formal nas faculdades está se modificando e buscando melhorias constantes para atingir um público que, com o auxílio da educação empreendedora, consiga encontrar soluções para as empresas, possibilitando que se tornem mais competitivas no mercado e desbanquem seus concorrentes – ou, ainda, que os tornem irrelevantes!

Isso serve tanto para pequenas empresas quanto para grandes organizações já renomadas no mercado que desejam continuar se destacando. Por isso, a educação empreendedora auxilia para que os gestores possam inovar tanto na sua própria empresa quanto em cargos executivos em grandes corporações.

Os profissionais que estão inseridos no contexto da inovação disruptiva por meio da educação empreendedora, são aqueles que se destacam no mercado de trabalho e conseguem agregar mais valor para a empresa e, consequentemente, são os profissionais mais valorizados pelas organizações de todos os portes e áreas de atuação.

A educação empreendedora

A educação empreendedora está intimamente ligada à inovação disruptiva e ao próprio empreendedorismo inovador. Afinal, diante de um mercado que está cada vez mais competitivo e exigente, os gestores e empreendedores precisam criar estratégias para encontrar condições de vantagens em relação aos concorrentes.

É a educação empreendedora que está possibilitando esse tipo de ensino, juntamente com o ensino do empreendedorismo inovador. A prática da inovação dentro das empresas está se tornando cada vez mais uma necessidade do mercado, fazendo com que um profissional com perfil inovador seja cada vez mais requisitado.

A prática de ensinar a inovar, com um ensino empreendedor, visa transformar as pessoas em gestores capazes de perceber as necessidades do mercado, possibilitando que processos de mudança ocorram, objetivando a ampliação do nicho de mercado.

Assim, quando se junta a experiência de empreender com os ensinos teóricos a respeito do tema, focando esses estudos em conhecimento de mercado e possibilidades de inovação, fica muito mais fácil encontrar caminhos para a utilização da inovação disruptiva na realidade da empresa e se destacar por isso, você não concorda?

Ou seja, os profissionais com capacidade inovadora, que conseguem perceber que modificar os processos ou produtos para encontrar novos nichos, são aqueles que se destacam dos demais, pois essa inovação irá trazer muitos benefícios para a empresa que conseguir sair na frente em relação aos seus concorrentes.

Os conhecimentos teóricos, focados na possibilidade da inovação, são tão importantes quanto os conhecimentos práticos aprendidos no dia a dia de uma empresa. Afinal, será possível utilizar o conhecimento prático para inovar e fazer diferente, encontrando maiores possibilidades de criar produtos e serviços diferenciados dos demais, com os recursos já existentes na empresa.

As qualidades do empreendedorismo inovador

O empreendedorismo inovador tem as suas próprias qualidades, que possibilitam que o gestor enfrente os desafios diários da sua profissão e encontre melhores resultados nesse processo de inovação.

É interessante pensar que você, como gestor da empresa, deve realizar avaliações constantes do seu comportamento, pois ele irá refletir na dinâmica e na cultura da organização. Por isso, a inovação dentro do ambiente de trabalho deve começar por quem está no comando da empresa.

Por esse motivo, a ética é uma qualidade indispensável no empreendedorismo inovador. É importante que a empresa tenha uma imagem institucional sólida, possibilitando a geração de novos negócios, transmitindo mais confiança para o consumidor, para os parceiros e também para os colaboradores.

Um código de ética empresarial pode ser interessante para auxiliar o convívio e modelar os comportamentos dentro da empresa, lembrando de que a mudança deve ocorrer também com gestores.

Dessa forma, é possível que a mudança ocorra de dentro da empresa e passe a ser percebida por fora. Quando uma organização já conceituada lança produtos inovadores, eles são mais bem recebidos pelos consumidores, possibilitando que a inovação disruptiva seja bem-sucedida.

Quando se trata de inovação, uma outra qualidade importante é o foco no cliente, pois somente assim a empresa irá alcançar os resultados necessários. Não se trata apenas de inovar e trazer novos produtos, trata-se de perceber o que os consumidores necessitam e trazer esse produto ou serviço até eles.

Isso deve ocorrer tanto em novos produtos, quanto em produtos já existentes que possam ser consumidos por outro nicho de mercado.

Portanto, um gestor empreendedor deve se perguntar: O que o consumidor deseja? Por que esses consumidores não estão consumindo determinado produto? O que fazer para que um produto atinja outros públicos?

Com isso, torna-se possível encontrar soluções inovadoras para questionamentos relevantes dentro da empresa, além de conseguir se destacar dos concorrentes, que nem sempre estão preocupados com a inovação.

Para agregar valor e focar na inovação disruptiva, é interessante que haja o comprometimento de todos os envolvidos com a empresa. Dessa forma, fica mais fácil alinhar as expectativas e os interesses, tendo como resultado maior engajamento e a ampliação da rentabilidade.

Um gestor comprometido faz com que o comprometimento passe a ser um dos valores da marca da organização. Consequentemente, existirão também colaboradores e parceiros comprometidos.

Esse comprometimento deve ser tanto com a inovação quanto com os resultados obtidos. Quanto mais pessoas estiverem comprometidas dentro da empresa, melhores serão os resultados dela.

A inovação disruptiva também tem como qualidade a flexibilidade, afinal, é preciso estar aberto às novas possibilidades, aprender a considerar as opiniões e o ponto de vista dos outros (tanto dos colaboradores quanto dos consumidores), estando sensível à mudança.

Dessa forma, para inovar é preciso aprender com os erros e compreender que as ideias diferentes (e em alguns casos, conflitantes) também são importantes para que se possa atingir novos resultados.

Por último, para realmente possibilitar a inovação disruptiva, é preciso pensar além do óbvio e essa é uma característica que está sendo passada com a educação empreendedora, possibilitando uma visão mais crítica dos fatos, com uma análise mais precisa da realidade da empresa, dos seus processos e das possibilidades de mudanças.

O empreendedor que consegue pensar além do óbvio é aquele que irá incluir a inovação no dia a dia, pois ele passará a ser um processo natural e fundamental dentro da empresa.

Por isso, é tão importante continuar buscando novos conhecimentos e novas formas de aprendizado, para que a educação empreendedora possa trazer muito mais benefícios para o gestor, para a empresa e também para os colaboradores e a sociedade.

A aprendizagem como motor da inovação

A escolha de uma boa universidade é fundamental para a vida empreendedora. Na sociedade atual, cuja escolha da carreira tem grande impacto no futuro, deve-se levar em consideração, além de outros, fatores como conforto, formação, infraestrutura, qualificação do corpo docente.

Diferenciar uma instituição de ensino é relevante quando o aluno deixa a sala de aula e torna-se um profissional em busca de uma oportunidade.

Um exemplo de universidade que preza pela excelência no ensino é a Ambra College. Com sede na Flórida, nos Estados Unidos, a Ambra é uma instituição de ensino presencial e a distância, com cursos voltados para o mundo dos negócios.

Todos cursos oferecidos por ela são totalmente em português e o diploma dos estudantes da Ambra possui validade nos EUA.

O curso de bacharelado em administração da Ambra é composto por 40 disciplinas, entre elas empreendedorismo e plano de negócios. A qualidade é reconhecida e fiscalizada pelo Departamento de Educação da Flórida.

Na Ambra, o candidato aprovado no processo seletivo tem o primeiro mês do trimestre letivo para conhecer a instituição, o curso, os professores e os colegas e decidir se quer continuar no curso ou cancelar a matrícula sem qualquer obrigação financeira com mensalidades.

Outro exemplo de empresa que aposta na aprendizagem como forma de inovar é a Conducere. Atuando no mercado corporativo desde 2002, a Conducere tem como objetivo o de conduzir seus clientes em uma direção sustentável e ética, contribuindo para a evolução e perenidade das organizações e o desenvolvimento de seus colaboradores.

Para isso, eles fazem a gestão da aprendizagem, do conhecimento e da inovação. A Conducere analisa as competências e tecnologias essenciais para o sucesso da empresa e promove uma educação corporativa e de administração do conhecimento organizacional. Isso permite implantar sistemas de inteligência corporativa e de inovação contínua.

Todos os projetos conduzidos pela Condurece têm como base sólidas metodologias como a CONECTARE, Design Instrucional/Educacional, PMBOK, MEG, PDCL e ISO 10015.

Sendo assim, a relação entre a educação superior empreendedora e a inovação disruptiva fica cada vez mais clara e próxima. Com essa educação, adquirida de uma maneira formal, fica mais fácil compreender como se dá o processo de inovação e como buscar a inovação para a empresa.

Quanto mais gestores buscarem por atualizações e aquisições de novos conhecimentos, mais inovações serão possibilitadas dentro da empresa e do mercado de trabalho, fazendo com que as empresas inovadoras passem a se destacar das concorrentes, com soluções e produtos diferenciados, de forma simples e atraente para os consumidores.

E você, pronto para iniciar uma carreira empreendedora? Compartilhe conosco nos comentários e até a próxima!

am_cta_ebook06_gestaoempresarial

SHARE
Previous articleInovação empresarial para sobreviver no mercado
Next articleQual é a importância do trabalho remoto nos dias de hoje

Engenheiro por formação e educador por paixão. Tenho a educação como paixão pessoal e profissional, por gostar de estar sempre ensinando e aprendendo. Estou sempre disposto a ouvir pontos de vistas e argumentar sobre diversos assuntos. Como hobbies, gosto de jogar poker e conversar sobre investimento e finanças pessoais.