Liderança 4.0: por que sua empresa deve estar preparada?

PBA da Ambra

Provavelmente você já deve ter ouvido essa frase ou alguma outra parecida com ela: “O mundo muda o tempo todo”.

Sendo a mais pura verdade, o fato é que nunca antes na história da humanidade essa mudança foi tão rápida.

Graças à era da tecnologia, onde uma parte considerável de nossas vidas pessoais e profissionais estão convergidas em dispositivos digitais, não é de se esperar que as empresas precisam estar conectadas a essas transformações para não perderem o rumo e seus clientes.

Estamos na era da Quarta Revolução Industrial – também chamada de Indústria 4.0 – que, com suas características, fez surgir um novo conceito: o de liderança 4.0.

Será que os empreendedores estão preparados para essa transformação que já está ocorrendo oficialmente desde 2013? O que fazer para se adaptar aos novos tempos de máquinas e humanos interagindo de formas surpreendentes?

Vamos falar sobre esse importante assunto no post de hoje.

Você vai descobrir que a maior mudança, ou seja, a mudança base da liderança 4.0, está muito além de implantar processos tecnológicos no ambiente corporativo, mas se encontra basicamente em uma mudança de mentalidade.

No final do post, deixe o seu comentário para continuarmos conversando sobre esse tema, combinado?

Entendendo a Quarta Revolução Industrial – ou Indústria 4.0

Vamos voltar um pouco naqueles tempos de escola. Provavelmente você deve se lembrar que os nossos antepassados já viveram algumas importantes transformações na forma de produção de seus produtos e serviços.

Entre 1760 e 1830, por exemplo, o mundo passou pela Primeira Revolução Industrial, o primeiro importante processo histórico marcado pelo ritmo da produção que deixou de ser manual e passou a ser mecanizada. Mesmo que ocorrido na Inglaterra, essa transformação foi a base de tudo o que viria em seguida.

E foi por volta de 1850 que ocorreu a Segunda Revolução Industrial, com a chegada da eletricidade, do uso do petróleo como motor a explosão, dos corantes sintéticos e a invenção do telégrafo.

E já na segunda metade do século 20, após a Segunda Guerra Mundial, iniciou-se a chamada Revolução Tecno-Científica, ou, Terceira Revolução Industrial. Conhecida como a era da informação, essa fase da humanidade foi marcada pela chegada e o desenvolvimento da tecnologia da informação e das telecomunicações.

Mas e quanto à Quarta Revolução Industrial? A atual fase em que estamos vivendo surgiu oficialmente em 2013 na Alemanha por conta de um projeto de estratégia de alta tecnologia do governo local para levar sua produção a uma total independência da atividade humana.

Isso mesmo. A era da Indústria 4.0 trouxe consigo uma tendência à automatização total das fábricas através de sistemas ciberfísicos, possíveis por causa da Internet das Coisas (IoT) e da computação na nuvem.

Esses sistemas combinam as máquinas com processos digitais, que ficam capazes de cooperar e tomar decisões descentralizadas. Alguns teóricos acreditam que em breve haverá fábricas inteligentes, cujas empresas poderão criar suas redes inteligentes que poderão controlar a si mesmas.

Segundo divulgação do portal de notícias BBC em 2016, no Fórum Mundial de Davos daquele ano, os pesquisadores e acadêmicos citaram as principais transformações que correspondem a essa Indústria 4.0: inteligência artificial, impressoras 3D, drones, biotecnologias, nanotecnologias, neurotecnologias, robôs e sistemas de armazenamento de energia.

Eis os pilares da Quarta Revolução Industrial:

  • Internet das Coisas (Internet of Things – IoT): conexão em rede de objetos, máquinas e veículos por meio de dispositivos eletrônicos que trocam e coletam dados (um exemplo simples são os adaptadores que você conecta ao seu smartphone via wi-fi para controlar remotamente os aparelhos eletrônicos da sua casa).
  • Segurança: esse é um dos principais desafios na Indústria 4.0. Com toda essa conectividade, é preciso criar sistemas cada vez mais seguros e que protejam os arquivos de dados das empresas.
  • Big Data Analytics: são estruturas de dados já utilizados pelas corporações por terem novas abordagens para a captura, a análise e o gerenciamento de informações. Nessa fase 4.0, essa tecnologia lida com alguns processos e informações relevantes, chamados de 6Cs: Conexão, Cloud, Cyber, Conteúdo, Comunidade (compartilhamento das informações) e Customização.

Entendido em que fase estamos, agora podemos falar melhor do que se trata o conceito de liderança 4.0. Afinal, com todas essas mudanças, também estão surgindo novas formas de gestão.

O conceito de liderança 4.0 e seu principal desafio

Assim como passamos por três revoluções industriais antes de chegarmos na atual, o cargo de liderança empresarial também passou por esses processos que redefiniu seus posicionamentos, que assim podemos definir:

  • Líder 1.0: o líder surgido após a revolução industrial tinha o objetivo de maximizar os sistemas de produção, ou seja, quanto mais produtos, melhor.
  • Líder 2.0: nessa segunda fase da revolução, o líder começou a se preocupar mais com a qualidade e o desempenho da empresa.
  • Líder 3.0: com a era da informação, o foco foi voltado para a criação de novas oportunidades de negócio que surgiram com as novas tecnologias.

E eis que surge a liderança 4.0, que possui vários desafios a serem enfrentados no ambiente corporativo.

Afinal de contas, com os processos cada vez mais automatizados, eficientes e sistematizados por máquinas, estão ocorrendo profundas alterações no desempenho humano e no que os líderes esperam de seus colaboradores.

A liderança 4.0 precisa lidar com a vida agitada e até mesmo caótica do dia a dia, com a procura desenfreada por resultados, com a integração cada vez maior da vida pessoal e profissional, sem falar na procura de talentos prontos ou a serem lapidados para integrarem suas empresas 4.0.

Dentro de todos esses desafios, talvez o maior deles e que servirá de base para uma eficiente liderança 4.0 é a mudança de mindset.

Um líder 4.0 destaca a empresa em relação à liderança tradicional porque promove uma intensa mudança de mentalidade em seus colaboradores – até mesmo porque se a tecnologia evolui, o pensamento humano também precisa avançar.

Nesse sentido, mais do que aprender novas habilidades, a liderança 4.0 precisa adquirir novos padrões de pensamento – e isso é realmente um grande desafio.

Por sua vez, a agilidade também é um comportamento esperado de um líder 4.0 – agilidade essa que deve ser orientada ao cliente, respondendo diretamente suas dúvidas, necessidades e desejos.

Tudo isso ao mesmo tempo em que promove um envolvimento dos colaboradores, potencializando suas habilidades individuais e trabalhando na motivação e geração de novas ideias.

Com isso, a empresa passa a ter uma cultura aberta, inovadora, transparente e ágil, plenamente adaptada ao mercado digital. Portanto, os líderes 4.0 precisam delegar mais responsabilidades a suas equipes, criando uma cultura comunitária co-criativa e mais ágil, proporcionada pelo aprendizado de cada colaborador individualmente.

As características de uma liderança 4.0

Em relação às características do mindset de um líder 4.0, existem três fundamentais. São elas:

  1. Mudança: além de mudar a própria mentalidade, o líder 4.0 também precisa saber conduzir o seu time a um processo de mudança. Afinal de contas, todos os dias existe uma novidade e dentro de uma empresa, todos têm que caminhar juntos. Nesse sentido, ser transparente em relação a explicar o que se deve fazer é fundamental.
  2. Comunicação: como existe uma intensa pressão por gerar resultados, a liderança 4.0 tem o papel de contrariar todo o caos que isso pode gerar nos colaboradores. Nesse caso, saber comunicar é uma característica fundamental para gerar envolvimento e pertencimento por parte da equipe. Temos um post aqui que fala sobre 5 erros na comunicação interna que causam grandes prejuízos.
  3. Talento: saber potencializar os talentos dos colaboradores é uma das principais características de um líder 4.0. Dessa forma, a mudança de mindset da equipe será construída e todos caminharão juntos em prol da inovação e da produtividade – cada um com seus talentos reconhecidos.

Outras características de uma liderança 4.0 são:

Responsabilidade na delegação de tarefas

O líder 4.0 aprende a distribuir as tarefas de acordo com a situação e a competência da equipe, pois ele sabe que as habilidades dos gerentes e dos colaboradores estão interligadas – ao contrário da liderança mais tradicional, onde a delegação de tarefas e responsabilidades são direcionadas de forma a gerar conflitos, pois não leva em conta as habilidades individuais.

O líder da era digital sabe, portanto, que o sucesso da empresa depende da contribuição, da inteligência e da competência de todos.

Avaliação dos resultados em conjunto

Enquanto os líderes tradicionais planejam recursos, avaliam resultados e controlam ordens dentro de suas próprias zonas de conforto, a liderança 4.0 procura controlar os processos por meio de votação, além de avaliar tarefas e resultados em conjunto com sua equipe.

Isso significa que os resultados são gerados pela integração de uma cultura de feedback entre todos.

Distribuição de informações com mais liberdade

Um líder 4.0 tem como princípio a liberdade de informação e acaba criando uma estrutura transparente, enquanto os líderes tradicionais costumam distribuir as informações sob a obrigação de fornecer dados fragmentados e de forma estratégica.

Feedback como troca entre iguais

Em relação ao cumprimento das metas, enquanto os líderes tradicionais costumam avaliar o desempenho dos colaboradores de forma individual, a liderança 4.0 determina as situações em que isso deve ocorrer, mas também não abre mão de avaliar os funcionários de forma igual, no dia a dia de suas funções – tornando o feedback um processo bem natural dentro da empresa.

Gerenciamento de conflitos

Um líder 4.0 gerencia os conflitos na empresa redirecionando os problemas para um processo de aprendizagem de erros, colocando a responsabilidade de toda empresa em primeiro plano.

Ele entende que apenas ditar regras e suas consequências podem fazer com que surjam outros conflitos entre o time.

Mudança criativa

A forma de gestão do líder 3.0 está voltada para a manutenção dos orçamentos, a estabilidade e os riscos minimizados – mas em maior ou menor grau, isso acaba deixando pouco espaço para a criatividade.

A liderança 4.0 sustenta a capacidade de mudança dentro da empresa ao promover e incentivar uma alta agilidade e comunicação entre os colaboradores, o mercado e os clientes, tornando a empresa de alto nível.

Inovação como prioridade

Sabemos que criar novas ideias para produtos e serviços é algo tipicamente desafiador, pois isso não se encaixa nos ciclos ou processos normais de uma empresa.

Mas na contramão dessa afirmação, um líder 4.0 sabe que as inovações são baseadas no foco de uma equipe com um objetivo em comum.

Dessa forma, com todos trabalhando com suas habilidades individuais, a inovação passa a ser rotina e ajuda na transformação de estruturas antigas. Nesse sentido, ambientes de trabalhos flexíveis e processos criativos são mais que bem-vindos na empresa.

Como implementar uma liderança 4.0 na empresa

1. Concentre-se mais nos sistemas e menos nas tecnologias

Como as maiores mudanças estão na mentalidade da equipe para se adequar às novas estruturas, concentre seus esforços nessa mudança de mindset – dessa forma, a tecnologia será uma aliada e não um obstáculo para essa transformação.

2. Mude o mindset, mas também domine a tecnologia

Mais que isso: combata aquela visão mais fatalista do progresso, onde o futuro é incerto e o mundo caminha para sua autodestruição. Se você for por esse caminho, não haverá espaço para o otimismo e para as transformações positivas que a sua empresa 4.0 poderá proporcionar à sociedade.

3. Foque mais nos valores e menos nos bugs

Uma liderança 4.0 precisa trabalhar para que a tecnologia não aumente a desigualdade, os danos ambientais e a discriminação. Pensando nisso, saiba investir nas novas tecnologias as quais a sua empresa realmente necessita, cuja compra seja justificável.

O líder da era digital sabe que tem uma grande responsabilidade com a criação de condições para o desenvolvimento de uma tecnologia socialmente próspera, segura e inclusiva.

O futuro tecnológico deve ser de oportunidades e benefícios acima dos riscos e das dúvidas. Por isso, a liderança 4.0 é um verdadeiro desafio nesses tempos complexos e exige alterações radicais no envolvimento e na capacidade de prever de forma coletiva o futuro que a sua empresa quer criar.

4.  Não pare nunca de estudar

Por fim, para desenvolver cada vez mais uma liderança 4.0, atualize-se sempre, principalmente na área da gestão. Ter um conhecimento técnico de todos os processos que envolvem uma empresa certamente te dará as bases certas para se trabalhar na mudança e na transformação que a sua empresa precisa para estar de acordo com a era digital.

Aliás, um líder 4.0 sempre arruma um tempo para se dedicar aos estudos e à reflexão de seu trabalho. Nesse sentido, uma boa dica é realizar cursos na modalidade a distância para que você consiga otimizar o seu tempo e evoluir na prática.

Para você ter uma ideia, no programa de pós-graduação em Business temos um módulo que explica como a Quarta Revolução Industrial impacta o mundo e como a inovação está ocorrendo.

Durante este módulo avaliamos as diferentes teorias de inovação que irão auxiliar as empresas e os profissionais a se manterem competitivos em seus setores e agregarem valor as suas atividades, reduzindo os riscos de serem substituídos por computadores.

Agora, faça o download do e-book sobre vantagem competitiva.