O Direito no ambiente corporativo

A Ambra College é uma faculdade que oferece os cursos de Direito Brasileiro e Administração de Empresas. Já falamos aqui no blog da importância do profissional moderno buscar ter um perfil multidisciplinar, onde o Direito pode contribuir nessa formação.

Hoje partimos para uma reflexão sobre a importância do Direito no ambiente corporativo. Nos arquivos do portal Administradores, encontramos uma matéria sobre a importância do Direito para a Administração, em que a autora Nicéia Wünsch escreve sobre essa relação das duas áreas e como o conhecimento jurídico pode contribuir para uma empresa:

O Direito é uma das peças fundamentais para as empresas e comunidade, pois é através desta fonte que se tem a base das informações e conceitos, normas e regras, que norteiam a administração das empresas em geral, tanto privadas, quanto públicas.

Pois, não se pode dizer que não cumpriu porque não é conhecedor de tal lei, pelo contrário, é fundamental que as empresas estejam atentas a todas as normas e regras e suas atualizações para fazer um trabalho ético e a contento para os seus clientes”.

Já a advogada Sylvia Romano, em seu artigo, A importância do direito trabalhista na gestão de pessoas, discorre sobre como Direito pode contribuir para os funcionários, auxiliando a Gestão de Pessoas

“… a responsabilidade dos advogados [dos departamentos jurídicos das grandes organizações] limita-se à elaboração de contratos e a apagar os incêndios, principalmente ligados aos direitos trabalhistas por ocasião da demissão, inclusive a voluntária, dos seus colaboradores. Quem entende dos trâmites legais dos direitos trabalhistas? E dos seus direitos e deveres? Quem deve conhecer os acordos pactuados com os sindicatos? Quem irá representar a instituição legalmente? Quem poderá prever futuros embates jurídicos?

Tenho certeza que a Gestão de Pessoas é da responsabilidade, além dos gestores e dos CEOS com o apoio do RH, também do departamento jurídico interno ou externo das organizações, pois em um País tão protecionista e com sindicatos tão poderosos no estabelecimento de normas e direito dos seus filiados, o processo rescisório da relação capital e trabalho comumente se torna uma grande dor de cabeça para as corporações”.

Para quem se interessa pelo assunto, indicamos outras leituras aqui do blog:

O Direito como diferencial competitivo em outras áreas 

Curso Regular em Direito Brasileiro para profissionais multidisciplinares 

Concentração em Administração Pública  

am_cta_ebook12_novocodigocivil-1