O Poker e o Estilo de Liderança Americano

O jogo de poker no Brasil ainda é visto por muitas pessoas principalmente como um jogo de azar e um jogo de blefe.

Nos EUA, o jogo de poker é considerado uma das grandes ferramentas estratégicas utilizadas por líderes de diversos campos de atuação. Por que essa diferença? Talvez porque os EUA sabem que sucesso depende de estratégia, enquanto que no Brasil muitas pessoas acreditam que sucesso só vem por um golpe de sorte ou se a pessoa usar táticas não muito éticas (como o blefe).

Quando um jogador é bem-sucedido no poker ou uma empresa é bem-sucedida nos negócios, dificilmente elas vêem que há uma estratégia por trás disso.

 

De acordo com Steve Ballmer, presidente de Microsoft, os jogos de poker que ele tinha com o Bill Gates na época que eram estudantes em Harvard foram a base para o plano de negócios da Microsoft. O herói de guerra Robert E. Lee, general durante a Guerra Civil Americana, usava o poker como base ao elaborar suas estratégias para enfrentar inimigos com recursos superiores. O presidente Barack Obama usou o poker como ferramenta para desenvolvimento político no início de sua carreira, chegando mesmo a organizar jogos de poker semanais.

A importância do poker na história americana é tão grande que até mesmo o nome do seu maior programa econômico, lançado pelo presidente Franklin Delano Roosevel após a Grande Depressão, é um termo de poker e carteado: New Deal. New Deal pode ser traduzido como Novo Acordo, mas sua origem é do poker, significando o momento em que novas cartas são distribuídas, uma nova rodada se inicia e as esperanças se renovam para aqueles que estão em apuros.

Steve Ballmer, Bill Gates, Robert E. Lee, Barack Obama, Franklin Delano Roosevelt e tantos outros líderes americanos usaram o poker como ferramenta para seu sucesso. E não porque eles se baseavam na sorte ou no blefe, mas porque se baseavam na estratégia. E, neste caso, fatores como sorte e blefe são apenas dois elementos a serem considerados, na hora de criar seu planejamento estratégico.

O poker, assim como os negócios, a política ou a guerra, exige muito mais do que sorte ou blefe. Exige, por exemplo, disciplina, visão sistêmica englobando todos os agentes envolvidos, estudo do ambiente competitivo, análise de risco e retorno de cada decisão, compreensão da natureza humana, uso efetivo de informação disponível parcial e uma excelência no gerenciamento de seus recursos. Em uma palavra: Estratégia.

A grande vantagem do poker é que é muito mais fácil, prático, rápido e divertido aprender e enxergar estratégia com poker do que com negócios, política ou guerra. Sendo muito mais fácil incorporar essa visão estratégica em seu dia-a-dia profissional ou até mesmo pessoal.

Você já jogou poker? Conseguiu perceber as oportunidades de aprendizado do jogo com esse texto?