Por que calcular a margem de contribuição na sua empresa?

margem de contribuição

Quando se trata da tarefa de administrar uma empresa, todos os detalhes são importantes para que se tenha um bom desempenho nos negócios, independentemente do porte e do segmento de atuação.

Uma ferramenta fundamental para que isso seja possível é o cálculo da margem de contribuição.

Trata-se de um cálculo simples, que será explicado detalhadamente neste artigo, e que tem como propósito auxiliar os administradores na organização e no bom desempenho financeiro de seus negócios.

A margem de contribuição nada mais é do que um indicador econômico-financeiro de uma empresa, que precisa ser constantemente calculado e analisado, principalmente no que diz respeito às questões financeiras.

Será ela que ajudará a garantir a cobertura do custo fixo e da geração de lucro, após a empresa ter atingido o Ponto de Equilíbrio, ou Ponto Crítico de Vendas.

A seguir, saiba mais sobre a importância e como calcular a margem de contribuição em sua empresa.

A margem de contribuição

Também é conhecido como o cálculo do ganho bruto ou cálculo do lucro real da empresa., ele representa o lucro em relação às vendas de cada produto, cobrindo os custos, as despesas fixas (conhecidos como custo de estrutura) e despesas variáveis.

Ou seja, com esse cálculo, os administradores e gestores conseguem descobrir quantos produtos precisam ser produzidos e vendidos para que as despesas sejam supridas e que ocorra um ganho real (lucro) em relação ao produto comercializado.

Esse cálculo pode ser gerado sobre vários eixos, como o montante total das vendas da empresa, sobre linhas de produtos, sobre cada venda gerada por produto, canais de distribuição e tabelas de preços. Ele também pode ser realizado para empresas prestadoras de serviço.

Essa margem de contribuição é calculada com auxílio de uma fórmula simples, que irá demonstrar o lucro real gerado com a venda de um produto (levando em conta os gastos com a produção e as demais despesas). Isso possibilita saber quanto vale cada produto produzido ou, até mesmo, qual é o lucro com todos os produtos fabricados pela empresa (seja no dia, semana ou mês, por exemplo).

O cálculo pode ser realizado de forma unitária (por produto), que serve para analisar apenas o custo de uma determinada produção ou serviço, como, também, para toda a produção (ou capacidade produtiva), sendo visto como a análise total do lucro da empresa.

Portanto, a margem de contribuição seria o quanto sobra de receita ao pagar os custos fixos da produção, permitindo descobrir qual é o real lucro nas vendas. Por isso, é fundamental para qualquer negócio conhecer esse cálculo.

Para torná-lo ainda mais simples, vamos demonstrar a sua fórmula, juntamente com um exemplo do cálculo da margem de contribuição. Mas, antes, é fundamental compreender a importância desse cálculo em uma empresa bem administrada.

A importância do cálculo da margem de contribuição

Conhecer bem as peculiaridades do que é produzido e comercializado pela empresa, assim como o mercado em que ela está inserida, é fundamental para o bom funcionamento da organização. Tão importante quanto isso é manter um bom registo dos processos da empresa e conhecer as suas estatísticas e dados detalhados.

No fundo, o que o cálculo da margem de contribuição proporciona para o administrador é um conhecimento aprofundado a respeito das suas possibilidades de lucro e dados corretos e precisos sobre os gastos de produção.

Isso faz com que o administrador se sinta mais seguro em relação à quantidade de produção da sua empresa, e obtenha lucros, permitindo que a organização continue funcionando.

Esse cálculo é fundamental, principalmente, para os momentos em que a produção estiver em queda (seja por falta de demanda dos clientes ou por dificuldades na produção).

É recomendado que o cálculo da margem de contribuição seja realizado com frequência, tornando possível a percepção apurada do lucro bruto da empresa.

Além disso, esse cálculo permite que seja avaliada a eficiência das estratégias de negócio – por exemplo, em ações que foram adaptadas para um aumento de preço do produto, mas a margem não chegou ao mínimo desejado. O cálculo vai permitir novas adaptações até que os resultados sejam obtidos.

Dessa forma, a margem de contribuição também pode ser fixada como meta no momento da definição do preço de venda dos produtos e serviços. Por isso, é necessário manter os dados sempre atualizados, fazendo comparações entre os cálculos anteriores e os atuais. Assim, é possível realizar comparações entre o lucro da empresa (atual e passado).

Aprenda a realizar o cálculo da margem de contribuição

Para aprimorar a sua análise e possibilitar um bom cálculo da margem de contribuição, é necessário apresentar, antes, alguns termos referentes a ele.

A margem significa a diferença entre o valor da venda (preço da venda) e o de custo e das despesas específicas para a produção (que são os custos variáveis e as despesas variáveis da venda).

Já a contribuição é a parcela do valor arrecadado nas vendas que contribui para o pagamento das despesas fixas e para o lucro. Dessa forma, a margem de contribuição é o valor das vendas (sem contar os custos das despesas variáveis).

Despesa variável é aquela que depende da realização de vendas para existir, enquanto despesa fixa é tudo aquilo que tem que ser pago independentemente de qualquer coisa (energia, aluguel do ponto comercial, salários dos colaboradores e assim por diante).

Para calcular a margem de contribuição de forma adequada, é necessário levar em consideração a seguinte fórmula:

MC = PV – (CV + DV)

Nela, o “MC” é Margem de Contribuição unitária, o “PV” é o Preço de Venda Unitário, o “CV” é o Custo Variável Unitário ou Custo das Mercadorias Vendidas, enquanto o “DV” é a Despesa Variável Unitária.

Dessa forma, para conhecer a Margem de Contribuição, basta saber o Preço de Venda Unitária e subtrai-lo pelo Custo Variável Unitário do produto e as despesas para produção. Logo:

Despesas + Custo de Produção – Preço de Venda Unitária = Margem de Contribuição (ou lucro gerado pelo produto).

Para aplicar esse cálculo para todo os produtos da empresa, basta multiplicar os valores pela quantidade produzida ou pela oferta de serviços.

É preciso levar em consideração que cada atividade empresarial (por causa da função de sua natureza operacional e das características comerciais que pratica) possui valores de custo e despesas diferentes, que precisam ser analisados e bem definidos.

Por isso, antes de realizar o cálculo, é preciso descobrir todas as despesas da empresa referentes à produção ou à prestação de serviço, fazendo com que o cálculo seja realizado de forma mais adequada.

Para facilitar ainda mais, preparamos um exemplo prático da utilização dessa fórmula para descobrir o lucro real de uma empresa em sua produção diária.

Exemplo para ilustrar o cálculo da margem de contribuição

Levando em consideração a fórmula utilizada, vamos pensar em um exemplo de uma empresa fictícia, com a produção diária de determinado produto. Veja como ficaria o cálculo para descobrir a margem de contribuição dos produtos fabricados nessa empresa em um dia:

O preço de produção é R$ 70, e a quantidade produzida foi de 50 produtos no dia. O custo de produção foi de R$ 30, tendo, ainda, 10% de impostos sobre o serviço e 3% a serem pagos ao funcionário.

Logo, o cálculo da margem de contribuição ficaria (levando em conta a fórmula apresentada):

Receitas = R$ 70 x 50 = R$ 3.500
Custo Variável = R$ 30 x 50 = R$ 1.500
O lucro com o produto é de R$ 2.000 (R$ 3.500 – R$ 1.500). Mas esse não é o lucro real. Para isso, é preciso levar em conta as despesas variáveis.
Despesas Variáveis = 10% pago ao funcionário (R$ 3.500 * 10% = R$ 350) + imposto (R$ 3.500 * 3% = R$ 105)
Despesas Variáveis = R$ 350 + R$ 105 = R$ 455.

Assim, o cálculo da Margem de Contribuição no mês para a empresa seria:
MC = R$ 3.500 – (R$ 1.500 + R$ 455)
MC = R$ 1.545

Portanto, os R$ 1.545 seriam o lucro bruto da empresa para a fabricação de 50 produtos, levando em consideração todas as despesas para a produção. Ou seja, ao vender 50 produtos, a empresa não lucrou R$ 3.500 (ou R$ 2.000), pois o lucro real é de R$ 1.545.

Sabendo diferenciar o lucro real da empresa, o administrador acaba se beneficiando e tendo um melhor entendimento sobre os valores que a organização está recebendo, possibilitando, assim, uma análise mais apurada dos dados.

Os benefícios de calcular a margem de contribuição

A margem de contribuição é fundamental para saber como anda a saúde de uma empresa ou se ela está ou não gerando lucro. Com um bom cálculo, fica mais fácil compreender o lucro real da empresa na fabricação dos seus produtos ou na prestação de um determinado serviço.

Com isso, se torna possível entender as reais limitações da organização e as suas possibilidades de lucro. Ao conhecer exatamente quanto a sua empresa lucra — ou deixa de lucrar — é possível adaptar as estratégias e, portanto, melhorar os resultados de seu negócio.

Levando em conta os resultados do cálculo, o administrador poderá ter um maior embasamento para realizar investimentos (visando aumentar sua capacidade produtiva) sem que isso interfira diretamente no lucro da empresa.

Ou seja, no momento de investir, é interessante levar em conta o real lucro atual da empresa, possibilitando que uma porcentagem mais justa seja levada em consideração no momento do investimento.

É interessante que o administrador tenha em mente que, ao saber o lucro real da empresa sobre um produto ou serviço, será mais fácil calcular quanto ele irá lucrar com o aumento da demanda (sempre levando em conta os custos de produção e as despesas variáveis e fixas).

Além de disso, as empresas que possuem sócios também podem ser beneficiar com esse cálculo, pois a divisão dos lucros passa a ser feita levando em consideração os lucros reais do negócio, fazendo com que a empresa não seja prejudicada e que cada sócio receba a sua parte de forma justa e adequada.

O cálculo não é difícil e possibilita que a empresa passe a ter maiores benefícios e um melhor controle da administração financeira, questões que são importantes para a saúde econômica (e longevidade) de um negócio.

Quanto mais o gestor ou administrador focar no cálculo da margem de contribuição dos lucros da empresa, melhor será a administração de seu negócio, melhorando os retornos financeiros no longo prazo e possibilitando um bom desenvolvimento da empresa.

E você, já conhecia a importância do cálculo da margem de contribuição? Caso tenha alguma dúvida ou dica sobre esse tema, deixe o seu comentário e até a próxima. 

am_cta_ebook07_gestoralta

SHARE
Previous articleO estresse no ambiente de trabalho e a produtividade do CEO
Next articleComo promover a captação de clientes na advocacia?

Engenheiro por formação e educador por paixão. Tenho a educação como paixão pessoal e profissional, por gostar de estar sempre ensinando e aprendendo. Estou sempre disposto a ouvir pontos de vistas e argumentar sobre diversos assuntos. Como hobbies, gosto de jogar poker e conversar sobre investimento e finanças pessoais.