Quais são os principais sinais do fechamento de uma empresa?

fechamento de uma empresa

Uma empresa pode ser vista como um organismo vivo.

Por isso, precisamos prestar atenção aos mínimos detalhes para diagnosticar quando algo não está indo bem. Muitas vezes, são os acontecimentos repentinos que causam o fracasso de um negócio, mas não apenas estes.

De acordo com o Serasa, o número de empresas que fecharam no ano passado cresceu 44,8% em relação a 2015. No entanto, existem sinais de alerta que todo empreendimento envia para seus gestores. Você está atento a esses sinais do fechamento de uma empresa?

No artigo de hoje, vamos falar sobre esses sinais de colapso. Dessa forma, você pode evitar o problema tomando algumas medidas estratégicas. Confira!

1. Mais críticas do que elogios de seus clientes

Os clientes são o motivo de sua empresa existir. Assim, para evitar o fechamento de um negócio, é preciso estar atento às impressões que seus consumidores estão tendo sobre ele. Os clientes oferecem um olhar de fora, e, não esqueça: são eles quem investem dinheiro em troca do serviço ou produto que você oferece.

Tenha em mente, portanto, que é preciso ir além de ouvir as sugestões e demandas que chegam aos seus ouvidos de forma passiva. Procure assumir uma postura ativa e entrar em contato com clientes. Peça opiniões. Mantenha um registro de controle de satisfação.

Afinal, é pouco provável que um cliente insatisfeito espontaneamente volte a fazer negócios com você. Não subestime o retorno deles: todos são importantes para evitar o fechamento de uma empresa. Agora, se as reclamações estão maiores do que os elogios e críticas construtivas, fique atento!

Mantenha um controle de satisfação de seus clientes, e crie um sistema para registrar reclamações e elogios. Outra maneira de observar o retorno do público é analisando quantas operações diárias acabam não se convertendo em uma efetiva compra ou negócio.

2. Insatisfação e alta rotatividade de funcionários

Assim como os clientes, os funcionários de sua empresa são fundamentais para que o seu negócio permaneça ativo. São eles que mantêm o organismo interno organizacional funcionando.

Além disso, os colaboradores são o principal cartão de visita de um negócio. Caso eles estejam com ares de insatisfação, isso não vai passar uma boa imagem para seus clientes que, por sua vez, podem deixar de fazer negócios com você e levar ao fechamento da empresa.

Pense por um momento: você ficaria trabalhando em uma empresa da qual não gosta? Daria o seu melhor nessa situação? Dificilmente isso acontece, ao menos, não por muito tempo.

Isso, para os gestores, pode se tornar um pesadelo. Afinal, vai ser preciso precisar gastar tempo e recursos treinando novos funcionários para substituir aqueles que saíram por insatisfação. Mas tenha em mente que os novos colaboradores podem vir a ficar insatisfeitos também, portanto, a substituição, sem atacar a raiz do problema, é somente um paliativo!

Dessa forma, o empreendimento acaba entrando em um ciclo vicioso. Tenha atenção, portanto, aos índices de rotatividade de funcionários. Além de gastar mais com isso, esse é um dos principais sinais do fechamento de uma empresa.

As pessoas são o recurso mais importante das empresas. São seus colaboradores que vão aprender como funciona o setor em que trabalham e poderão desenvolver novas habilidades, além de adquirir conhecimento e gerar inteligência de mercado para sua empresa. Assim, crie ações para mantê-los motivados, engajados e baixar seu turnover. Dessa forma, todos saem ganhando!

É importante ter políticas voltadas à retenção de funcionários. Afinal, com a alta concorrência do mercado, você não vai querer que seus melhores talentos migrem para seu concorrente, certo?

Para verificar se sua rotatividade de funcionários está alta, você pode aplicar a fórmula:

número de funcionários desligados / número médio de funcionários da empresa

Carla Andréia Cardozo, no livro Gestão de Turnover, sugere que uma taxa de turnover de funcionários adequada deve ser próxima ou menor do que 10% ao ano. Assim, se a sua está muito maior do que essa, fique atento, já que ela pode ser sinal de fechamento de uma empresa!

3. Falta de planejamento financeiro

Esse sinal pode parecer senso comum, porém, muitas vezes, os gestores acabam negligenciando o planejamento financeiro de seu negócio. De fato, esse é um dos principais motivos de fechamento de uma empresa. Uma organização não pode ter uma gestão financeira amadora ou vai cometer erros que tendem a comprometer o fluxo do caixa e levar o negócio a fechar suas portas.

Por isso, é fundamental que a empresa tenha um bom planejamento e gestão financeira. Busque ter domínio de suas despesas, desde os gastos fixos, como, por exemplo, o pagamento dos funcionários. Além disso, você sabe que todos os empreendimentos passam por imprevistos. Assim, tenha uma margem de capital de giro para aquelas situações de aperto.

Projetar seu fluxo de caixa também é essencial para ter um bom controle financeiro e planejar da melhor forma os investimentos que serão feitos em seu negócio, evitando o fechamento de uma empresa.

4. Ausência (ou inconsistência) de metas

Você já deve ter ouvido aquela máxima que afirma que para chegar a algum lugar, é preciso saber para onde ir, certo? Tenha em mente que uma empresa sem metas está fadada ao fracasso.

Você entraria em um barco sem saber o destino? Dificilmente – assim como seus funcionários não se comprometem da mesma forma sem ter um rumo! Nesse sentido, traçar a missão, visão e os valores de sua empresa é fundamental para dar um norte para todos.

Além disso, é importante estar atento às metas de seu empreendimento. Desenvolvê-las e compartilhá-las com sua equipe é crucial para evitar o fechamento de uma empresa.

A inconsistência de metas pode fazer com que cada funcionário interprete de maneira diferente os objetivos da sua organização. Se todos os integrantes de um barco começarem a remar em sentidos diferentes, com certeza, a embarcação não chegará a lugar algum, você não concorda?

5. Falta de desenvolvimento e capacitação

Ter um negócio significa estar em constante competitividade com outras empresas no mercado. Companhias que tendem a ficar estagnadas e não investem no desenvolvimento, tanto de seus gestores quanto de seus funcionários, acabam se tornando menos relevantes e obsoletas – o que pode levar ao fechamento de uma empresa.

Por isso, é preciso continuar mudando e aprendendo, não apenas para que seu negócio obtenha sucesso, mas, também, para evitar a falência. A capacidade de inovar depende daquilo que você aprende e incrementa. Afinal, quando não há nada de novo em seu empreendimento, você afasta os clientes antigos e desencoraja os novos a realizarem negócio com sua empresa.

6. Rentabilidade insuficiente

É importante calcular qual o retorno que você está recebendo em relação ao investimento que fez em seu negócio. Mesmo que a empresa esteja com um fluxo positivo no caixa, muitas vezes, isso não é o suficiente.

Para fazer esse cálculo, é preciso ponderar em qual fase a empresa se encontra. Além disso, ter em mente as metas traçadas quando o negócio começou, quais já foram atingidas e quais deixaram a desejar. Estar atento a isso pode evitar que sua empresa tenha resultados inesperados e venha a fechar.

Acompanhar regularmente o fluxo de caixa, buscar identificar gargalos e desperdícios de recursos e oportunidades são ações que podem otimizar a lucratividade e evitar o fechamento de uma empresa.

7. Estoque lotado

As empresas que trabalham com produtos, normalmente, mantêm um estoque. Eis uma boa maneira para saber se seu negócio vai mal.

Um estoque lotado de produtos significa que é hora de reavaliar suas estratégias. Muitos itens parados querem dizer apenas uma coisa: dinheiro que poderia estar circulando ou sendo investido em outros aspectos prioritários da empresa.

O estoque é seu capital investido. E qual investidor gostaria de ver seu capital parado, ainda mais em momento de instabilidade e de crise?

Para evitar o fechamento de uma empresa e o estoque encalhado, crie ações que façam seus produtos girarem – afinal, produto que não gira é dinheiro que não entra!

8. Empréstimos mal avaliados

Essa é uma das principais causas que podem acarretar no fechamento de uma empresa. Por falta de planejamento financeiro adequado, alguns gestores acabam pedindo empréstimos, e, muitas vezes, essa não é a melhor maneira para financiar o crescimento do seu negócio.

Empréstimos que não são avaliados adequadamente podem ser uma armadilha para sua empresa. Fique atento e busque linhas de crédito adequadas ao investimento necessário.

Ainda, pense bem se o empréstimo é realmente a melhor opção. Avalie se não é possível eliminar desperdícios de recursos e de insumos em seus processos produtivos. É comum que a solução para evitar o fechamento de uma empresa esteja dentro de casa, e não fora!

9. Clientes inadimplentes

Se seus clientes estão cada vez mais deixando contas em aberto, fique atento. A falta de pagamento afeta todo o funcionamento e pode levar ao fechamento de uma empresa. É preciso calcular atrasos e inadimplências, buscar negociar com seus clientes e criar estratégias para reduzir seus índices de atraso de pagamentos.

10. Falta de conhecimento em gestão

Todos os sinais que vimos anteriormente são elementos que podem acontecer por falta de conhecimento em gestão, por parte dos gerentes e CEO. Portanto, organize-se! A falta de bagagem para lidar com o negócio pode levar rapidamente ao fechamento de uma empresa.

Não basta a vontade de ter o negócio próprio. Claro, muitas coisas você consegue aprender na prática, mas saiba que, nesse ambiente, um erro pode significar a falência de sua empresa.

Assim, é importante investir em cursos e conhecimentos específicos para estar bem preparado para lidar com riscos, oportunidades e procedimentos rotineiros de um negócio. Afinal, sem um controle ou conhecimento básico, o empreendedor não conseguirá chegar muito longe.

Saídas para uma empresa que vai mal

Antes de qualquer coisa, você deve dar um passo para trás e analisar o todo. Você identificou algum dos sintomas que apresentamos como parte da rotina de sua empresa? Tudo bem. Não é motivo (ainda) para se desesperar!

Dê um passo para trás e faça a reavaliação financeira de sua empresa. Apesar de ser uma alternativa impactante, você pode diminuir o tamanho do negócio. Verifique onde é possível cortar gastos, mas estabeleça novas metas. Tenha convicção de que esse passo para trás e a redução de recursos são momentâneas e ajudará você a “arrumar a casa”.

Agora, depois de identificados os erros, evite bater nas mesmas teclas. Só assim você poderá dar dois passos para frente após esse momento.

Outro procedimento importante é não ser misterioso acerca dos problemas da empresa. Manter segredo e ser evasivo é uma boa maneira de aumentar boatos organizacionais, o que pode deixar a equipe insatisfeita e acabar aumentando seus problemas.

Você vai perceber que alguns funcionários vão demonstrar suas preocupações em relação aos caminhos que você vai tomar. Nesse momento, não se feche. Entenda que eles podem ter medo de que seus empregos estejam em risco ou estar preocupados com cortes de benefícios.

Por esse motivo, nesse momento, é basilar estar disponível e ouvir todas as preocupações que a equipe possui. Mantenha a comunicação interna funcionando de forma saudável, assim, você e seus colaboradores poderão utilizar todo o seu potencial e passar menos tempo ansiosos e preocupados e mais tempo sendo produtivos.

Saiba que nem sempre a solução óbvia é o melhor caminho. Por exemplo: no caso de a demanda por seus produtos ou serviços cair. A solução óbvia seria reduzir seus preços para reaquecer as vendas, certo? Nesse caso, diminuir a precificação pode acabar desvalorizando o produto. Talvez, uma estratégia mais inteligente seria agregar valor ao que você já vem fazendo. Busque maneiras de inovar, ofereça algo diferente ou extra que ajude a aquecer suas vendas.

Você já deve saber que gerenciar uma empresa não é tarefa fácil. No entanto, é igualmente gratificante quando conseguimos superar as dificuldades de nosso empreendimento. Assim como as pessoas, todos os negócios passam por tempos de crise, por isso, não se desanime! É papel do gestor se manter motivado e motivar a equipe.

Fique atento, portanto, para as causas e os fundamentos do erro que a sua empresa está passando. Como você bem viu, a lista de problemas é extensa, e é preciso, acima de tudo, chegar à raiz dos problemas.

Hoje, existem cursos que auxiliam o empreendedor a evitar esses erros e um consequente fechamento de uma empresa. Um deles é o da Ambra, uma faculdade americana, credenciada pelo Departamento de Educação do Estado da Flórida, que oferece cursos em língua portuguesa e inglesa.

A Ambra oferece graduação em Administração de Empresas. O curso é composto por 40 disciplinas focadas nas necessidades de mercado. Assim, você estudará desde os princípios de um negócio até o pensamento crítico, a comunicação empresarial e a negociação e resolução de conflitos, entre tantos outros tópicos importantes para a gestão de qualquer negócio.

E você, conhece outros sintomas do fechamento de uma empresa? Sua organização já passou por algum dos problemas que listamos? Compartilhe sua experiência conosco, deixe seu comentário!

AM_CTA_Facebook_eBook02_FormacaoGerencial