Navigation

Administração
Startup enxuta
Startup enxuta: entenda o conceito e aplique na sua empresa

A busca por métodos inovadores em diferentes áreas do conhecimento geralmente é motivada por dois fatores: conhecimento profundo das regras e saber como é possível quebrá-las de forma ética e criativa para alcançar seu objetivo.

Assim ocorre com o conceito de startup enxuta na administração de empresas, que questiona procedimentos comuns ao montar uma organização para obter sucesso de forma mais eficiente.

No artigo de hoje, entenda mais sobre esse método e veja como é possível aplicá-lo em sua empresa.

A origem do conceito da startup enxuta de Eric Ries

O conceito de startup enxuta (ou lean startup, em inglês) começa com a história de um empreendedor chamado Eric Ries. Quando jovem, ele foi um dos responsáveis pela fundação de um fórum online chamado Catalyst Recruiting, em que universitários poderiam entrar em contato com futuros gestores em busca de oportunidades profissionais.

Além disso, Ries também prestava consultoria para duas incubadoras de startup e um fundo de capital de risco, e largou os estudos para apostar tempo e recursos na Catalyst.

Infelizmente, em função de fatores como a sua inexperiência e pela economia da época, a Catalyst acabou fechando suas portas. Era o final da década de 1990 e a bolha das empresas pontocom estava a ponto de estourar.

Diversos empreendimentos ligados à internet faliram nessa saturação do mercado, e não foi diferente com a empresa do jovem Eric Ries. Após essa experiência, ele passou a atuar no Vale do Silício em empresas de tecnologia, inicialmente como engenheiro de software.

Um destaque positivo dessa jornada foi com a rede IMVU, na qual atuou como CEO em 2008.

Entre o fracasso da Catalyst e o sucesso da IMVU, Eric Ries obteve a base para desenvolver uma metodologia para que as startups conquistassem sucesso baseado em seus princípios de administração. Nascia, assim, o conceito da startup enxuta.

Afinal, o que é uma startup enxuta?

O conceito de startup enxuta é baseado em uma filosofia japonesa de administração chamada lean manufacturing (ou manufatura enxuta). Embora a lean manufacturing fosse aplicada, sobretudo, para linha de montagem em indústrias, o princípio é semelhante: aumentar o valor de criação e eliminar aquilo que é desperdício.

Inicialmente, Eric Ries aplicava o conceito em empresas de tecnologia, mas a partir de estudos na área de marketing, tecnologia e administração, passou a ressignificar o modelo e a torná-lo aplicável para qualquer tipo de empresa que pudesse sustentá-lo.

O objetivo da metodologia da startup enxuta é minimizar o ciclo de desenvolvimento do produto de sua empresa, incentivando a experimentação de diversas ideias de forma rápida até que se alcance a melhor possível, economizando em cima de um produto de qualidade que possa ser vendido ao mercado o quanto antes.

O conceito de startup enxuta envolve a atuação local em cada item que tome tempo, recursos ou, simplesmente, seja oneroso para o processo. Isso ajuda o empreendedor a desenvolver e a lançar novos produtos em seu mercado.

Aplicando o conceito de startup enxuta em seu negócio

Veja, a seguir, algumas dicas de como implementar esse método em sua empresa.

1. Lembre-se de que não existe um plano de negócios perfeito

Convencionalmente, um dos primeiros – se não o primeiro – processo realizado em toda empresa é a criação do plano de negócios.

Ele é um documento que descreve com o máximo de detalhe possível a oportunidade identificada, o problema que o empreendimento visa resolver e qual é a solução que sua empresa propõe, além de projetar receita, lucro e fluxo de caixa nos anos seguintes.

Esse plano de negócios, então, é apresentado a investidores e começam a ser captados recursos humanos e financeiros pra que possa ser realizada a produção e o lançamento do produto ou serviço pensado para o mercado.

Como dito no começo desse artigo, é necessário conhecer regras para quebrá-las – e o movimento de startup enxuta de Eric Ries mostra justamente isso. Ele aponta três questões que uma startup enfrenta e que precisa vencer ao fazer um plano de negócios e captar investimentos:

  • Pouco ou nenhum contato com o consumidor – Muitas empresas acabam não sobrevivendo ao primeiro contato com o seu potencial público ao lançar sua ideia no mercado.
  • Projeções não correspondem à realidade – Não há dados concretos que possam afirmar que aquela projeção de 5 anos no plano de negócios é confiável.
  • Startups não são como empresas tradicionais – Um plano de negócios amplo e rígido raramente se encaixa com o ambiente de negócios dinâmico e mutável desse modelo de empresa. Startups de sucesso migram de ideia em ideia, aprendendo com seus clientes e melhorando o produto.

Esse último ponto é crucial para o conceito de startup enxuta. Enquanto empresas tradicionais executam um plano de negócios de longo prazo, as startups ainda estão procurando por um.

Na filosofia da startup enxuta, é preciso ter o conhecimento de que tudo que os donos do negócio têm no começo são hipóteses, que precisam ser testadas e resumidas. Por meio de um diagrama chamado Canvas, podemos organizar os pontos que realmente importam para o negócio e começar a compreender melhor como colocar essas hipóteses em teste.

2. Tenha um produto mínimo viável

O produto mínimo viável (ou MVP – Minimum Viable Product) é a criação resultante do teste das hipóteses. Esse teste é feito diretamente com o consumidor, sendo, essencialmente, um desenvolvimento com clientes (ou customer development).

Nessa etapa, a empresa coletará opiniões sobre todos os elementos do modelo de negócios, produto, características e estratégias.

O produto mínimo viável é desenvolvido em conjunto com um grupo de clientes selecionado. Ele não corresponde ao produto final, mas é produzido de forma ágil e econômica com tudo que necessita para ser considerado um produto completo e que poderia ser lançado.

Desenvolver um produto mínimo viável exige que a empresa já possa formular hipóteses sobre o público consumidor e a proposta de valor do produto que pretende lançar. A partir do feedback obtido, é possível realizar ajustes não apenas em como o produto final será, mas também em como o modelo de negócio vai ser direcionado.

Um engano comum ao aplicar o conceito de startup enxuta é o desequilíbrio ao criar um produto mínimo viável – equilibrar o mínimo dos recursos investidos na criação e o máximo de viabilidade é necessário para que ele possa ser um bom indicador do sucesso do lançamento do produto final da sua empresa.

Na metodologia de startup enxuta, o empreendedor encontra recursos para reduzir desperdícios, otimizar seus ativos e obter uma interação mais próxima e produtiva com seu cliente, que ajuda a empresa a testar e a validar suas hipóteses e a melhorar seus processos produtivos – tudo isso, antes mesmo de lançar o seu produto.

Lembre-se: é sempre melhor errar no papel do que diretamente no mercado. Com isso, suas chances de obter sucesso em seu negócio são potencializadas e você poderá lançar suas ideias testadas de modo muito mais rápido e econômico.

Você já conhecia o conceito de startup enxuta? Tem vontade de aplicá-lo em sua empresa? Compartilhe suas ideias, dúvidas e experiências nos comentários e até a próxima.